Ponte Estaiada é inaugurada em clima campanha

Concluída com três anos de atraso, a ponte deve receber 8 mil carros por hora

Eleni Trindade, do Jornal da Tarde,

10 de maio de 2008 | 14h02

Em clima de campanha, o prefeito Gilberto Kassab inaugurou na manhã deste sábado, 10, a Ponte Estaiada, na Marginal do Pinheiros, zona sul de São Paulo. A principal promessa é de que a obra, com capacidade para receber 8 mil veículos por hora, desafogue os congestionamento na região. Batizada de Octavio Frias de Oliveira, a ponte terá duas pistas de 1,4 quilômetro de extensão e vai ligar a Avenida Jornalista Roberto Marinho à Marginal. Segundo ele, nas próximas etapas, o complexo será estendido até a Avenida Pedro Bueno, onde será construído um túnel de 2,8 quilômetros. Sobre o túnel haverá um parque, rodeado por uma grande área. Posteriormente, no entorno dessa área, serão construídas unidades habitacionais para pessoas carentes - ainda sem data de entrega.  A cerimônia de inauguração contou com a participação do governador José Serra e do deputado federal Paulo Maluf (PP). Apesar do clima de comício, com direito a bênção do Padre Marcelo Rossi (figura cativa nos últimos eventos de Kassab), manifestantes protestaram no evento. Bastou o prefeito começar o discurso para cerca de 50 pessoas iniciarem as vaias. Gritando frases como "Ponte da Vergonha", "Uh, Uh, a Ponte é da Daslu", o prefeito precisou aumentar o tom de voz para ser ouvido. Os manifestantes apresentaram-se como "universitários contrários ao sistema". Também vaiaram Serra, mas deixaram o governador mais à vontade. O governador, por sua vez, fez questão de ressaltar que a "obra é uma parceria entre o Estado e a Prefeitura". "Não importa quem seja o candidato" (nas próximas eleições)." Já Gilberto Kassab destacou que a inauguração de ontem é só o começo no processo de revitalização do entorno. "Faz parte de um complexo muito maior. É a Operação Urbana Água Espraiada." VALERIA GONÇALVEZ/AE 

Tudo o que sabemos sobre:
Ponte Estaiadainauguração

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.