Políticos levam 3 de cada 4 vagas em conselhos municipais

25 dos 77 cargos estão com secretários; 2 deles têm três cadeiras e [br]ganham R$ 216 mil/anuais só com jetons

Rodrigo Burgarelli e Vitor Hugo Brandalise, O Estado de S.Paulo

25 de junho de 2011 | 00h00

Dos 77 cargos nos oito conselhos administrativos das empresas - elas ainda têm conselhos fiscais -, 57 (74%) são ocupados por secretários e ex-secretários do Município, presidentes de empresas da Prefeitura, ex-secretários estaduais e diretores de partidos aliados no Estado.

Desse total, 25 cargos são ocupados por secretários do prefeito Gilberto Kassab (sem partido) - os titulares da Prefeitura que mais participam de conselhos são Nelson Hervey (Secretaria de Governo Municipal) e Rubens Chammas (Planejamento, Orçamento e Gestão), que ocupam cadeiras em três conselhos cada um. Somente em jetons, recebem adicional de R$ 216 mil ao ano cada um.

Outros 16 cargos nos conselhos das empresas municipais são ocupados por antigos aliados de Kassab, ex-deputados federais ou diretores de partidos políticos. Entre eles, está o ex-secretário estadual de Planejamento Francisco Vidal Luna, que participa de todos os oito conselhos da Prefeitura - e recebe jetons pela participação em quatro deles (R$ 288 mil ao ano do erário municipal). O ex-deputado Gilberto Nascimento faz parte de três conselhos da Prefeitura - da Cohab, CET e SPTrans. O ex-governador Alberto Goldman (PSDB) participa de dois conselhos (SPUrbanismo e SPP).

Além dos secretários de Governo e de Planejamento, titulares de outras 12 pastas de Kassab ocupam cadeiras nos conselhos municipais. Entre eles estão Januario Montone (Saúde), Marcelo Cardinale Branco (Transportes) e Alexandre Schneider (Educação). Antigos titulares de secretarias de Kassab, como Manuelito Magalhães (Planejamento) e Maria Aparecida Orsini Fernandes (Saúde) também fazem parte dos conselhos. O ex-secretário de Governo Municipal Clovis Carvalho participa de três conselhos (CET, SPTrans e SPTuris) - no total, recebe R$ 216 mil anuais pelos cargos.

O ex-deputado pernambucano Raul Jungmann (PPS) aparece como conselheiro da CET e da Prodam. Em maio, Jungmann foi pivô de polêmica por decidir continuar no conselho da CET mesmo após a desistência do conterrâneo Marco Maciel, também indicado por Kassab para o mesmo conselho - o ex-vice presidente da República desistiu da indicação. Na última atualização do site De Olho nas Contas, em 18 de maio, porém, Marco Maciel continuava constando como conselheiro.

Questionada ao longo da tarde de ontem sobre os critérios técnicos que definem as nomeações para conselhos municipais, a Prefeitura não retornou as ligações. O Estado telefonou para quatro assessores de imprensa da Prefeitura, mas não obteve resposta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.