Polícias ouvem presos por mortes em boate

Os quatro presos como suspeitos de envolvimento com a tragédia da boate Kiss serão ouvidos pelas Polícias Militar e Civil do Rio Grande do Sul nesta semana, na fase final dos inquéritos que investigam as causas e vão apontar as responsabilidades pelo incêndio que matou 240 pessoas em Santa Maria, na região central do Estado. No inquérito militar, que investiga se houve falhas dos bombeiros na emissão de alvarás para a casa noturna e no resgate das vítimas, os depoimentos começaram ontem.

O Estado de S.Paulo

06 Março 2013 | 02h03

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.