Policiamento no litoral paulista terá reforço de 5,1 mil agentes

Prevenção de acidentes nas praias também terá mais salva-vidas, além de botes, lanchas e jet skis

Rejane Lima / SANTOS, O Estado de S.Paulo

24 Dezembro 2010 | 00h00

O litoral paulista vai receber o reforço de mais 5,1 mil policiais civis e militares a partir da próxima segunda-feira. A Operação Verão 2010-2011 promete reforçar a segurança do litoral e garantir o abastecimento de água para moradores e turistas que visitarem a região.

"Os setores de inteligência já atuaram previamente no sentido de distribuir o contingente de policiais, certamente procurando cobrir toda essa região e canalizando esforços para aquelas áreas que exigem uma atuação mais efetiva das nossas polícias", disse o secretário de Segurança Pública de São Paulo, Antônio Ferreira Pinto. Os policiais, entre eles bombeiros e integrantes da Polícia Rodoviária, serão distribuídos nos 15 municípios do litoral paulista.

A PM deve manter o reforço no policiamento até o dia 31 de janeiro e a Polícia Civil, até 14 de fevereiro. A operação conta ainda com o suporte de dezenas de viaturas e sete helicópteros.

Afogamentos. Parte da Operação Verão, a operação Praia Segura é coordenada pelo Corpo de Bombeiros e deve durar até o dia 13 de março. A ação visa prevenir e combater ocorrências típicas de verão, como crianças perdidas, afogamentos e acidentes com embarcações.

Além dos 686 salva-vidas efetivos da PM, 367 salva-vidas municipais e 150 salva-vidas temporários vão reforçar a segurança nas praias. Na ação serão empregados um navio, oito lanchas, 30 botes com motor de popa, 16 jet skis e 18 quadriciclos. Cada cidade também contará com pelo menos uma viatura da Unidade de Resgate e Salvamento Aquático (Ursa), totalizando o emprego de 24 veículos desse tipo.

Abastecimento. O presidente da Sabesp, Gesner Oliveira, afirmou ontem, no lançamento da operação, que não vai faltar água no litoral neste verão. "A cada temporada estamos reforçando os investimentos para aumentar a oferta de água. Para esta foram R$ 58 milhões de investimentos em obras importantes", disse, citando o Centro de Reservação de Água, com capacidade para 20 milhões de litros, no Jardim Melvi, Praia Grande; a estação de tratamento de água em Boraceia, em Bertioga e o sistema de filtração de água no Guarujá. "Além disso, há a mobilização de mais de 2 mil funcionários e a modernização da central de atendimento", afirmou Oliveira, ressaltando que a colaboração da população é importante para evitar o desperdício de água durante o verão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.