Policial militar que atirou em dois suspeitos na zona sul é preso

Polícias Militar e Civil vão investigar conduta do PM, que disparou quando homens estavam caídos no chão; ele também foi afastado

Mônica Reolom, O Estado de S. Paulo

24 Junho 2015 | 17h34

Atualizada às 23h46

SÃO PAULO - O policial militar que atirou na terça-feira em dois suspeitos durante uma perseguição no Jardim São Luís, na zona sul de São Paulo, foi preso administrativamente e afastado de suas atividades operacionais nesta quarta, 24. Imagens exibidas ao vivo por programas de televisão mostraram o momento em que o PM atirou nos dois homens, que estavam caídos no chão.

A Corregedoria da PM e a Polícia Civil instauraram inquéritos para apurar o episódio. “A Polícia Militar reforça seus valores de transparência, imparcialidade e legalidade, sendo certo que todo e qualquer tipo de não conformidade na atuação policial será objeto de responsabilização”, informou a corporação em nota. Atingidos pelos disparos, os suspeitos, adolescentes de 16 e 17 anos, foram socorridos e levados para hospitais da região. Até a noite desta quarta, não havia informações sobre o estado de saúde dos dois.

A perseguição começou por volta das 18 horas de terça na Rua Pais da Silva, na zona sul. Policiais militares em patrulhamento avistaram dois homens conduzindo uma motocicleta roubada e tentaram abordá-los. Mas eles não teriam obedecido à ordem de parar e iniciaram a fuga por várias ruas da região. PMs da Ronda Ostensiva com Apoio de Motocicletas (Rocam) e em viaturas começaram a perseguir os suspeitos. Eles atravessaram a Ponte João Dias e, na Avenida Maria Coelho Aguiar, o carona jogou um capacete na direção da moto de um policial. Logo depois, os dois se desequilibraram e caíram na frente de uma casa. Neste momento, como é possível ver nas imagens do Cidade Alerta, da Rede Record, o policial para a sua moto ao lado e atira ao menos quatro vezes.

As equipes de televisão da Record e da Band acompanharam a ação ao vivo com câmeras em helicópteros. Elas captaram quando viaturas ficaram presas no trânsito. A partir daí, apenas um policial da Rocam, de moto, acompanha de perto a motocicleta dos rapazes. As câmeras flagraram o momento do lançamento do capacete, a queda e os disparos. Em seguida, o PM vai até os suspeitos, verifica se estão vivos e os revista.

Segurança. O secretário da Segurança Pública, Alexandre de Moraes, afirmou que o policial cometeu uma “séria irregularidade”. “Temos de dar o direito de defesa, mas, pelas imagens, a constatação é de uma séria irregularidade por parte do policial. Indivíduos já deitados, sob o domínio da polícia, acabaram sendo alvejados por tiros.”

Por esse motivo, ele foi “disciplinarmente preso e afastado do policiamento” e a Corregedoria “já iniciou imediata sindicância”. / COLABOROU IVAN LOPES, ESPECIAL PARA O ESTADO

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.