Policial militar morre em troca de tiros com investigadores do Garra na zona sul de São Paulo

Policial morto tinha 20 anos de corporação, era casado e deixa um filho; ocorrência foi encaminhada à Corregedoria da Polícia Civil

Ricardo Valota - O Estado de S.Paulo,

04 de dezembro de 2012 | 03h16

SÃO PAULO - O soldado Geraldo Alves Cruz, de 48 anos, da Força Tática do 50º Batalhão da Polícia Militar, foi baleado e morto, na noite de segunda-feira, 3, ao trocar tiros com dois policiais civis do Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos (GARRA ) na Rua Jequirituba, no Parque Grajaú, zona sul da capital paulista.

Os investigadores, em uma viatura descaracterizada, faziam diligência na região à procura de ladrões de carga, quando encontraram um grupo de seis homens, entre os quais estava o policial militar. Sem saber que os dois ocupantes do carro eram policiais civis, O PM resolveu sacar a arma. Houve troca de tiros e o soldado foi atingido por diversos disparos. Ele morreu enquanto recebia atendimento no pronto-socorro do Grajaú.

O policial morto tinha 20 anos de corporação, era casado e deixa um filho, tenente do Exército. A ocorrência foi encaminhada à Corregedoria da Polícia Civil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.