Policial militar morre com tiro na cabeça na zona sul de São Paulo

Soldado com oito anos na corporação realizava patrulhamento quando foi atingido na nuca; criminoso fugiu e não foi identificado

O Estado de S. Paulo

20 de outubro de 2014 | 09h09

SÃO PAULO - O soldado Edson Santos da Silva, de 30 anos, que pertencia às Rondas Ostensivas com Apoio de Motocicletas (Rocam) do 46º Batalhão da Polícia Militar, morreu após levar um tiro que atingiu sua cabeça enquanto trabalhava na zona sul de São Paulo. Silva chegou a ser socorrido, mas não resistiu à gravidade do ferimento.

Silva realizava patrulhamento com colegas na Rua José Pereira Cruz, na Vila Livieiro, na noite do sábado, 18, quando tentou abordar um suspeito. De acordo com a PM, o homem era suspeito de traficar drogas e fugiu deixando uma mochila no local.

Enquanto os PMs vistoriavam a mochila, foram surpreendidos a tiros. O soldado foi ferido na nuca e foi levado ao Pronto Socorro do Hospital Heliópolis, mas morreu. O responsável pelo crime não foi identificado e fugiu do local. O soldado estava na PM há oito anos.

Tudo o que sabemos sobre:
São PauloPolícia MilitarViolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.