Policial militar é morto com 14 tiros em Campinas

Crime aconteceu na mesma região onde policiais são suspeitos de assassinar 12 pessoas em janeiro

Ricardo Brandt, O Estado de S. Paulo

08 Fevereiro 2014 | 18h08

Atualizado às 20h56.

CAMPINAS - Um policial militar foi executado com 14 tiros na tarde deste sábado, 8, em um bairro da mesma região onde 12 pessoas foram assassinadas em série há 26 dias, em Campinas. A Polícia Civil vai investigar se há relação entre o crime de hoje e as chacinas, que teriam sido cometidas por policiais militares, em reação à morte de outro PM, na mesma região do Ouro Ouro Verde.

Daniel Pinto Souza, de 45 anos, estava na rua e ia comprar água, quando dois homens em um carro roubado chegaram e dispararam. Uma filha do policial o socorreu. O PM foi levado para o Hospital Ouro Verde, mas não resistiu.

Após o assassinato, os dois fugiram em um automóvel Meriva, roubado em Hortolândia. Houve perseguição e troca de tiros. Um dos criminosos foi morto pela PM e outro fugiu em uma mata. O crime aconteceu no Jardim Shangai, na mesma região do Ouro Verde, onde são investigados os crimes em série ocorridos nos dias 12 e 13, em um período de quatro horas.

Cinco PMs de Campinas estão presos temporariamente suspeitos de envolvimento com os 12 assassinatos. Uma força-tarefa da Civil apura o envolvimento deles e de outros policiais em um suposto plano em resposta ao assassinato do policiail Arides Luis dos Santos, de 44 anos, horas antes das execuções, em uma tentativa de roubo na mesma região.

A Associação de Familiares e Amigos de Policiais do Estado de São Paulo (Afapesp) diz que o crime de hoje pode ter sido uma resposta de criminosos aos 12 assassinatos, mesmo sem ter sido comprovado o envolvimento de PMs nos crimes.

Mais conteúdo sobre:
violência em campinaschacina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.