Policial é preso acusado de integrar quadrilha que explodia caixas eletrônicos

Ao todo, cinco pessoas foram presas pelo Policiais do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) na região de Campinas

Ricardo Brandt, O Estado de S.Paulo

11 de dezembro de 2012 | 16h17

CAMPINAS - Cinco pessoas foram presas, entre elas um policial militar e dois guardas municipais, na manhã desta terça-feira, 11, na região de Campinas, acusados de integrarem um quadrilha especializada em explosão de caixas eletrônicos. Policiais do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) efetuaram prisões em Paulínia, Holambra, Santo Antônio de Posse, Jaguariúna e Pedreira.

O PM e os GMs são de Holambra, onde dois caixas foram explodidos recentemente em uma mesma noite. Os acusados são apontados pelo Deic como responsáveis por pelo menos seis explosões de caixas na região de Campinas. "O Deic está auxiliando, por meio de equipes especializadas, o combate ao crime organizado no interior", disse o delegado Nélson Silveira Guimarães, diretor do Deic.

A Secretaria de Segurança Pública informou que a operação montada pela Delegacia de Investigações sobre Roubos a Bancos "faz parte de uma ofensiva contra quadrilhas especializadas em roubos a bancos e explosões de caixas eletrônicos".

As prisões de ontem ocorreram após a PM, na sexta-feira, 7, prender seis homens durante tentativa de invasão a uma agência bancária. Eles foram identificados em pelo menos outros oito ataques.

Tudo o que sabemos sobre:
rouboCampinasHolambrabancos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.