Policial e GCMs são presos por roubo de caixas

O policial militar Marcos Roberto Joaquim e os guardas civis municipais Amarildo Donizeti Giampaoli e Rondinei dos Santos Gonçalves, que trabalham em Holambra, foram presos ontem acusados de colaborar com uma quadrilha de ladrões de caixas eletrônicos na região de Campinas. Segundo as investigações, outros policiais militares estão envolvidos com o bando e serão detidos nos próximos dias.

O Estado de S.Paulo

12 de dezembro de 2012 | 02h02

Investigações que duraram seis meses e que contaram com o apoio da 5.ª Delegacia do Patrimônio (Roubo a Banco), do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), apontam que o PM e os GCMs colaboravam com o bando, pedindo para viaturas se deslocarem para locais distantes de onde ocorriam os furtos aos caixas eletrônicos, facilitando a ação da quadrilha. "Eles escolhiam o alvo de acordo com a facilitação do PM e dos GCMs", afirmou o delegado Celso Marchiori.

Segundo o delegado, já está confirmada a participação do bando no furto de pelo menos sete caixas eletrônicos nas cidades de Holambra, Jaguariúna, Serra Negra, Mogi Guaçu e Pedreira, entre agosto e novembro deste ano.

Além dos agentes de segurança, também foram presos ontem Luís Fernando de Souza, João Paulo Nascimento e Paulo Henrique Amaral de Pinho, todos acusados de participação no ataque aos caixas. Outro criminoso está foragido. Além das prisões, foram cumpridos também dez mandados de busca e apreensão nas casas e locais de trabalho dos acusados. Segundo Marchiori, os bens dos suspeitos deverão ser confiscados pela Justiça.

Pelo menos mais 14 pessoas já foram identificadas durante as investigações, incluindo PMs, e deverão ser presas nos próximos dias./W.C.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.