Policial é assaltado em SP e arma de bandidos falha

Agente do GOE foi abordado por assaltantes, teve moto roubada e reagiu; um criminoso foi morto

25 de outubro de 2007 | 09h42

Um policial do Grupo de Operações Especiais (GOE), da Polícia Civil, foi assaltado na madrugada desta quinta-feira, 25, enquanto voltava para casa em sua moto, mas a sorte estava do seu lado. Das cinco tentativas de disparo feitas pelos assaltantes, nenhuma funcionou. O agente, de 29 anos, reagiu e atingiu um deles antes dos outros três fugirem.   Na noite de quinta-feira, o agente foi abordado em sua motocicleta por quatro assaltantes na Casa Verde, Zona Norte. Os bandidos estavam em duas motos CG e o cercaram para roubar a do homem.   Os quatro não desconfiavam de que a vítima fosse um policial, pois estava com a jaqueta preta do GOE do avesso. Um dos assaltantes decidiu revistá-lo, percebeu que havia uma arma na cintura dele e gritou para os comparsas que era alguém da polícia. Os outros criminosos, então, deram a ordem para que o agente fosse morto.   O assaltante Rafael Florêncio, de 18 anos, colocou o revólver calibre .32 na cabeça do policial e atirou três vezes, segundo a polícia. Todas falharam. O agente do GOE aproveitou para reagir e sacou a arma. Houve troca de tiros e Florêncio disparou outras duas vezes, que também falharam. Ele foi baleado e levado ao Hospital Geral de Vila Nova Cachoeirinha, mas morreu.   Os outros criminosos fugiram: dois na moto do policial e um a pé. Um deles teria deixado cair a carteira de motorista e, então, sido identificado. As motos CG, que não eram roubadas, foram deixadas no local e apreendidas pela polícia. Já a motocicleta do policial foi localizada pouco depois, na Marginal do Tietê, próximo à Ponte da Freguesia do Ó. O caso foi registrado no 40º Distrito Policial, de Vila Santa Maria.

Tudo o que sabemos sobre:
PolíciaGOESão Pauloassalto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.