Policial consegue bênção

Odair Moura, de 38 anos, aluno da Escola Superior de Sargentos de São Paulo, era ontem um dos mais de 2 mil policiais escalados para impedir que fiéis se aproximassem do papa durante seu trajeto de 6 km entre a Basílica de Aparecida e o Seminário Bom Jesus. A tarefa não foi fácil. Peregrinos carregavam bilhetes, fotos e ornamentos religiosos, na esperança de conseguir uma bênção particular. Alguns foram contidos pelos seguranças quando tentavam se aproximar do papamóvel.

Diego Zanchetta, O Estado de S.Paulo

25 de julho de 2013 | 02h11

Mas ninguém conseguiu segurar o futuro sargento Moura. Postado estrategicamente na frente do seminário no momento em que o papamóvel parava, o PM pulou à frente de cinegrafistas, autoridades e agentes da Polícia Federal para chegar perto do papa. Ao esticar a mão, foi atendido por Francisco com gesto recíproco e conseguiu o que mais de 100 mil fiéis sonhavam.

"Sou um privilegiado. Dei a mão para o representante de Deus na Terra", comemorou o futuro sargento, que havia pedido para um outro colega da PM fotografá-lo quando estivesse perto do papamóvel. "Não achei que ia dar tão certo receber um cumprimento", acrescentou o policial, que disse ser um fervoroso "católico, apostólico, romano".

Tudo o que sabemos sobre:
papa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.