Policial civil é morto a tiros ao chegar em casa no Pari

Investigador foi atingido na cabeça, nas pernas e nos braços; pistola e a carteira funcional foram levadas

Ricardo Valota, do estadão.com.br,

22 de outubro de 2008 | 06h52

O policial civil João Cabral de Melo Neto, 43 anos, foi morto, por volta da 1h30 desta quarta-feira, 22, quando chegava em seu apartamento, na Rua Monsenhor de Andrade, no Pari, região central da cidade. Ele era investigador do 35º Distrito Policial, do Jabaquara, zona sul de SP. Segundo uma testemunha, o policial, ao se aproximar da porta de entrada após estacionar o carro, foi surpreendido por dois homens armados. A testemunha afirmou à polícia que a dupla, ao ver o investigador, apenas disse: 'Deita, deita, que já era'. Neto foi atingido por cinco tiros, na cabeça, nas pernas e nos braços; mesmo levado ao pronto-socorro do Tatuapé, não resistiu e morreu. A pistola e a carteira funcional do policial foram levadas. No local, a perícia encontrou cápsulas de pistola e o celular da vítima. A dupla teria fugido em um Fiat Pálio cinza. O caso, que está sendo encarado pela polícia como execução, foi registrado no 12º Distrito Policial, do Pari, pelo delegado Germano de Souza Willveit.

Tudo o que sabemos sobre:
Pariassassinato de policialmorte

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.