Policial australiano admite uso indevido de gás contra brasileiro morto por Taser

Os três tubos de gás de pimenta usados contra o estudante brasileiro Roberto Laudisio Curti momentos antes de sua morte, em 18 de março, em Sydney, na Austrália, foram aplicados pelo mesmo policial e em quantidade acima do permitido pelo regulamento da polícia australiana. Damien Ralph, de 28 anos, disparou cada tubo de gás por cerca de 4 segundos e a 30 cm do rosto do estudante - o regulamento diz que o jato deve ser aplicado por um segundo e a mais de 60 cm de distância. Ralph alegou não saber que o regulamento havia sido alterado e disse crer que "pessoas de pele clara são mais sensíveis ao gás pimenta". Laudisio morreu após receber disparos de eletrochoque de Taser.

O Estado de S.Paulo

13 Outubro 2012 | 03h03

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.