Policiais serão investigados com rigor, diz Alckmin

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) disse ontem que a polícia trabalhou de maneira "rápida" e "integrada" no caso da ação dos PMs que resultou no assassinato de um jovem no Jaçanã, na madrugada de domingo. A morte revoltou moradores da região e traficantes teriam mandado queimar os dois ônibus.

O Estado de S.Paulo

11 de dezembro de 2012 | 02h01

"Os policiais foram presos rapidamente", afirmou Alckmin, acrescentando que a apuração será "rigorosíssima". "O governo não tolera pessoas fardadas cometendo atos ilegais nem criminosos tocando fogo em ônibus".

Estão presos o 1º tenente Alisson Guimarães Pereira de Souza, de 33 anos, o 3º sargento Adriano de Jesus Xavier, de 30, o cabo Alexandre Nobre da Silva, 31, e os soldados Ricardo Freitas de Aquino, de 34, Mario Luiz Pires Guarnieri, de 33, e Humberto de Almeida Batista, de 31. A Corregedoria afirmou que os laudos periciais vão individualizar a participação de cada um na morte de Maicon Rodrigues Moraes, de 19 anos, caso fique comprovado o crime. / CAIO DO VALLE e W.C.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.