Policiais que roubavam cargas e bancos são procurados no Rio

Pelo menos 20 pessoas acusadas de fazer parte da quadrilha já foram presas pela Polícia Federal no Estado

Solange Spigliatti, da Central de Notícias,

09 de setembro de 2009 | 09h08

Policiais militares e civis são acusados de fazer parte de uma quadrilha especializada no roubo de cargas, arrombamento de cofres de bancos e caixas eletrônicos no Rio. O grupo é alvo da Operação Saque Noturno da Polícia Federal, que prendeu pelo menos 20 pessoas na manhã desta quarta-feira, 9.

 

Um dos acusados de pertencer à quadrilha é preso em Irajá, no Rio. Foto: Marco Arcoverde/AE

 

Entre os procurados estão dez policiais militares e cinco policiais civis acusados de pertencer à quadrilha. Cerca de 200 agentes da Polícia Federal e 120 do policiais do Grupo de Apoio aos Promotores (GAP) do MP Estadual saíram às ruas para cumprir 58 mandados de prisão e mais de 60 de busca e apreensão em várias cidades, entre elas Rio de Janeiro, Niterói, Nova Friburgo, Campos, Cordeiro, Cabo Frio, Macaé, São Sebastião do Alto e Além Paraíba, em Minas.

 

Policiais chegaram a ser presos em duas delegacias de Friburgo e dois Batalhões da Polícia Militar. Os presos estão sendo encaminhados para a Superintendência da Polícia Federal do Rio de Janeiro, na Praça Mauá.

 

A participação de policiais na quadrilha tinha como objetivo ajudar nos crimes, segundoo promotor de Justiça Paulo Wunder, Coordenador de Segurança e Inteligência do MP do Rio. Wunder explicou que os policiais faziam a segurança nos momentos dos roubos e ajudam que os envolvidos não fossem presos.

 

As quadrilhas, que agiam há quase 10 anos, eram interligadas pois tinham em comum o envolvimento dos mesmos policiais, segundo o MP.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.