Policiais civis de SP se reúnem com Tarso Genro na terça-feira

Eles devem discutir os rumos da greve da Polícia Civil com o ministro da Justiça

Ana Luísa Westphalen, da Agência Estado,

20 de outubro de 2008 | 17h11

Entidades sindicais que representam os policiais civis do Estado de São Paulo se reúnem na terça-feira, 21, com o ministro da Justiça, Tarso Genro, para discutir sobre a greve da Polícia Civil. O encontro está marcado para as 11h30, no Ministério da Justiça, em Brasília. A informação foi divulgada pelo presidente da Força Sindical, o deputado federal Paulo Pereira da Silva, o Paulinho e pelo secretário-geral da Força Sindical, João Carlos Gonçalves, o Juruna.   Veja também: 'Teve policial atirando contra o Palácio dos Bandeirantes', conta o jornalista Marcelo Godoy  Galeria de fotos do conflito no Morumbi Policiais civis e militares entram em confronto em SP; assista  'PM tem obrigação de manter a ordem', diz José Serra  Manifestação de Polícia Civil foi feita por "minoria", diz Marrey Paulo Pereira da Silva diz que José Serra não está aberto ao diálogo  Antes da manifestação, Serra disse que 'não negocia com greve' Todas as notícias sobre a greve       A categoria negocia há seis meses com o governo estadual, e pede reajuste salarial de 15% para este ano, 12% de correção em 2009 e outros 12% em 2010. O governo do Estado propôs um reajuste único de 6,2%.   Policiais civis devem fazer uma nova manifestação na quinta-feira, 23, em todo o Estado de São Paulo. A data do novo protesto foi decidida durante uma reunião na manhã desta segunda-feira, 20, entre entidades da Polícia Civil de São Paulo. Os policiais civis estão em greve desde o dia 16 de setembro e as negociações com o governo do Estado estão paralisadas desde a última quinta-feira, 16, quando policiais civis e militares se enfrentaram nas proximidades do Palácio dos Bandeirantes.   Os representantes dos sindicatos da categoria voltam a se reunir no próximo dia 27, às 10h30, na Associação dos Investigadores para discutir o rumo da greve. "Esperamos que alguém do governo nos chame em busca de uma possibilidade de uma proposta decente", comenta Leal, "estamos dispostos a negociar", finaliza.   Na semana passada, a intenção dos policiais civis de ir até ao Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista, para forçar a retomada de negociações com o governo, terminou em confronto com policiais militares. Pelo menos 23 pessoas ficaram feridas no confronto.   (Com Agência Brasil e Solange Spigliatti, do estadao.com.br)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.