Polícia vai ouvir hoje mais três dirigentes de escolas de samba

Outros oito integrantes de escolas de samba devem prestar esclarecimentos até segunda-feira

Solange Spigliatti,

24 de fevereiro de 2012 | 12h11

SÃO PAULO - Mais três dirigentes de escolas de samba de São Paulo serão ouvidos nesta sexta-feira, 24, pelo suposto envolvimento no tumulto que acabou na destruição das notas do carnaval, na terça-feira, no Anhembi, zona norte da cidade.

Serão ouvidos no Deatur, a partir das 14 horas, Luciana Silva, presidente da Tom Maior, Edilson Casal, presidente da Pérola Negra, e Wagner da Costa, vice-presidente da Gaviões da Fiel.

Outros oito integrantes de escolas de samba devem prestar esclarecimentos à policia até segunda-feira. A primeira secretária da Camisa Verde e Branco, Josélia Alves, e o diretor de carnaval da Camisa Verde e Branco, Alexandre Salomão, o Teta, foram ouvidos ontem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.