Osvaldo Faria/AE
Osvaldo Faria/AE

Polícia vai investigar se foi acidente

Governador diz que está preocupado com falhas seguidas, deixa no ar hipótese de sabotagem e afirma que pane ocorre em todo lugar

Márcio Pinho e Marcelo Godoy, O Estado de S.Paulo

22 de setembro de 2010 | 00h00

O governador de São Paulo, Alberto Goldman (PSDB), afirmou que uma sindicância vai apurar se a pane no Metrô foi acidental ou proposital. E contou que a polícia também vai investigar o caso. Após admitir que falhas recentes no transporte público da Grande São Paulo, tanto no metrô quanto na CPTM, têm preocupado o governo, ele deixou no ar a hipótese de que a paralisação desta terça-feira tenha sido uma sabotagem. "Não sabemos a motivação (de quem causou o bloqueio da porta). Se foi casual ou motivado, se foi um acidente ou foi proposital, nós queremos saber", afirmou.

A polícia já abriu inquérito e pretende investigar se há alguma relação entre o incidente do metrô e a depredação parcial da Estação Guaianases da CPTM, no dia 15. Para os investigadores, passageiros quebraram vidros por causa da paralisação do sistema de ventilação dos trens, o que ocorreu em consequência da desenergização da Linha 3-Vermelha. No caso de Guaianases, dois vândalos foram identificados pelo sistema interno de TV. Desta vez, descobrir quem depredou os 18 trens será difícil, porque o metrô não tem imagens do interior dos vagões e das linhas.    

 

 

 

Veja também:

linkFalha no metrô afeta mais de 200 mil usuários

linkFalta de informação deixa milhares sem saber o o que fazer

linkUsuários relatam que passaram horas presos em trens

linkEm manhã de caos, zona leste concentra lentidão

mais imagens Galeria de fotos da manhã caótica

As declarações de Goldman sobre o caso foram dadas logo após a inauguração da Estação Tamanduateí (Linha 2-Verde do Metrô), que, integrada à Linha 10-Turquesa da CPTM e a linhas de ônibus, vai possibilitar um transporte mais rápido dos passageiros da capital para o ABC.

Questionado se o usuário pode usar o Metrô com segurança diante dos recentes acontecimentos, o governador disse que há problemas em todos os sistemas. "Você não tem em nenhum lugar do mundo nenhuma garantia absoluta de que uma linha de metrô não possa paralisar em algum momento." Como o diretor de Operações do Metrô, Conrado Grava de Souza, porém, o governador atribuiu a uma blusa a abertura da porta.

Festa frustrada. Os problemas na Linha 3-Vermelha deixaram um clima de fim de festa no evento patrocinado pelo governo do Estado. O clima no entorno era de campanha eleitoral, com direito a bandeiras do PSDB. Enquanto isso, Goldman exaltava os investimentos da gestão iniciada por José Serra. A Estação Tamanduateí funcionará inicialmente de segunda a sexta-feira, das 9 horas às 16h30. Já a parte da estação voltada à CPTM terá trens no intervalo padrão, entre 4 horas e meia-noite.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.