Reprodução
Reprodução

Polícia vai fazer acareação entre os envolvidos no acidente com Land Rover

Depoimento de nova testemunha pode causar reviravolta no caso de atropelamento

Vitor Hugo Brandalise e William Cardoso, O Estado de S.Paulo

02 de agosto de 2011 | 00h00

O depoimento da jornalista Ingrid Basílio vai fazer a Polícia Civil ouvir novamente todas as testemunhas que prestaram depoimento no caso da morte do administrador de empresas Vitor Gurman. Os investigadores devem pedir acareação entre a nutricionista Gabriella Pereira, de 28 anos, a jornalista e outras testemunhas. "Agora, teremos de valorar os depoimentos, para apurar de fato quem estava dirigindo", disse o delegado titular do 14.º DP, Ricardo Cestari.

Isso pode mudar totalmente o rumo do inquérito - até aqui, a nutricionista era investigada por homicídio com dolo eventual (assumiu o risco de matar alguém). "Apenas depois de ouvir todos novamente, poderemos definir quem será indiciado por causar a morte do rapaz", disse o delegado, que assumiu o caso ontem, após voltar de férias.

O delegado Manuel Adamuz, responsável pelo inquérito até sexta, ouviu seis pessoas, incluindo dois PMs. Um disse que a nutricionista estava com cinto de segurança no banco do motorista. Outro disse que soube "por populares" que a condutora era Gabriella e Lima estava no banco do passageiro.

 

Já a versão da jornalista, que chegou ao local antes que os PMs que atenderam a ocorrência, é que quem dirigia o veículo era o namorado da nutricionista.

 

Veja também:

linkNova testemunha causa reviravolta no caso

linkApós morte, 400 pedem paz no trânsito

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.