Polícia vai continuar investigações sobre morte de bebê em SP

Novo laudo do IML irá apontar se houve lesão corporal ou imperícia médica, pois recém-nascido teria sofrido um corte de bisturi

Julia Baptista, estadão.com.br

10 de setembro de 2010 | 15h53

SÃO PAULO - Apesar de o laudo apontar como natural a morte do recém-nascido, em 29 de agosto, no Hospital Municipal do Campo Limpo, na zona sul de São Paulo, o delegado titular do 37º Distrito Policial, Gilberto de Castro Ferreira, afirmou, em entrevista coletiva na manhã desta sexta-feira, 10, que as investigações continuarão, pois o inquérito ainda não foi concluído.

 

O delegado aguarda agora um novo laudo do IML para saber se houve lesão corporal ou imperícia médica, pois o bebê teria sofrido um corte de bisturi nas costas. O médico responsável pela cesárea pode ser indiciado por esses crimes. "O laudo vai dizer se o procedimento seria condenável ou não", disse Ferreira.

 

O resultado do laudo do Instituto Médico Legal, divulgado ontem, apontou que o recém-nascido morreu em "decorrência de hipóxia (baixa oxigenação) em razão de sua prematuridade pulmonar". A mãe do bebê, uma adolescente de 14 anos, foi submetida a uma cesárea.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.