Sérgio Castro/Estadão
Sérgio Castro/Estadão

Polícia suspeita que motorista do ônibus acidentado dormiu ao volante

14 pessoas morreram na queda do veículo em uma ribanceira na Régis Bittencourt

Bruno Ribeiro e Giovana Girardi, O Estado de S. Paulo

22 Dezembro 2013 | 16h58

Atualizado às 19h25

O delegado Renato Coletes, de Itapecerica da Serra, disse acreditar que a hipótese mais provável para o acidente que deixou 14 mortos na rodovia Régis Bittencourt na madrugada deste domingo, 22, é que o motorista tenha dormido ao volante. Ele foi indiciado por homicídio culposo, sem intenção, e liberado.

O veículo da viação Nossa Senhora da Penha, que ia de Curitiba para o Rio de Janeiro, caiu em uma ribanceira por volta das 2h na altura do km 300 da rodovia, em São Lourenço da Serra, no sentido São Paulo. Segundo Coletes, em depoimento o motorista disse que, “de repente, estava no mato”. Ele disse que não foi fechado por outro motorista nem teve problemas na pista, o que reforça a suspeita.

Também não há indícios de que o motorista tivesse bebido ou consumido drogas. A Polícia Federal Rodoviária fez o teste do bafômetro, que não detectou álcool. Para ter certeza, o delegado também pediu exame de sangue. O motorista também contou que faz a rota há 24 anos e há seis está na empresa.

O ônibus trafegava com 51 passageiros adultos e duas crianças. Treze morreram na hora. De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo, 12 vítimas foram levadas para o Hospital Geral de Itapecerica. Uma delas, uma senhora de 58 anos, morreu no local. Uma mulher de 28 anos passou por um procedimento cirúrgico para a colocação de um fixador externo na perna, mas está com quadro instável, na UTI. 

Outras dez vítimas apresentam quadro estável, com ferimentos variados, como fraturas, traumas cranianos e hematomas. São duas mulheres, de 39 e de 14 anos, e oito homens, de 15 a 53 anos, além de um bebê de 1 ano, que se encontrava em observação.

Seis vítimas foram levadas para o Hospital Geral de Pirajussara, em Taboão da Serra, sendo cinco mulheres e um homem. Uma das mulheres, a paciente JJLS, de 45 anos, de acordo com a Secretaria de Saúde, está na UTI, em estado muito grave. Ela teve duas paradas cardíacas e já passou por cirurgia para se recuperar de uma lesão no intestino grosso e de uma fratura da bacia grave.

Os outros cinco passageiros estão estáveis. A paciente CLS, de 17 anos, teve trauma abdominal fechado e seu baço foi retirado em cirurgia. Seu quadro é estável e ela respira sem a ajuda de aparelhos. Três mulheres, com 18, 21 e 65 anos de idade, e um homem, de 40 anos, tiveram fraturas diversas e aguardam avaliação.

Alguns feridos também foram levados para o Pronto-Socorro de Embu das Artes, mas ainda não há informações sobre o estado das vítimas. No total, segundo a concessionário Autopista, 22 ambulâncias foram usadas para carregar os passageiros.

A empresa de ônibus divulgou somente uma nota oficial:

"A Empresa de Ônibus Nossa Senhora da Penha S/A, profundamente comovida, cumpre com o dever de informar que ocorreu um acidente com o ônibus nº 6002, que partiu no dia 21/12/2013, às 20h15 de Curitiba, com destino à cidade do Rio de Janeiro.

De acordo com as informações apuradas, o acidente ocorreu por volta das 2h do dia 22/12/2013, na BR 116, nas proximidades do município de Itapecerica da Serra/SP. Os feridos foram encaminhados ao Hospital Geral de Itapecerica da Serra/SP (11-4668-8988), Hospital Geral de Pirajussara/SP (11-3583-9400) e Pronto Socorro de Embu das Artes/SP (11-4785-0154).

Passageiros sem ferimentos foram conduzidos aos seus respectivos destinos. Maiores informações serão prestadas no decorrer do dia, assim que disponíveis. Os familiares dos passageiros dispõem do seguinte telefone gratuito para obter informações adicionais: 0800-646-2122."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.