Polícia recupera carga de empresa de venda pela internet em Osasco(SP)

Sem nota fiscal, a mercadoria pode ser roubada ou desviada; sete homens foram detidos quando a carga era transferida de residência para o caminhão

Pedro da Rocha e Ricardo Valota, do estadão.com.br,

15 Julho 2011 | 04h24

SÃO PAULO - Uma carga, supostamente roubada ou desviada, pertencente a uma empresa de vendas pela internet, foi recuperada por policiais militares da 3ª Companhia do 14º Batalhão, no interior de uma das casas da Rua Flor de Amora, no Jardim das Flores, em Osasco, região oeste da Grande São Paulo.

 

Uma denúncia anônima levou os policiais até o imóvel. No momento em que a PM se aproximava, parte da mercadoria já havia sido retirada da casa e estava dentro do caminhão. Foram presos quatro homens junto ao caminhão, outros dois na rua paralela após fugirem pelos fundos do imóvel e o dono da casa, que tentou se esconder debaixo da escada.

 

Usuário de drogas, o proprietário da residência disse aos policiais que havia alugado o imóvel para que a quadrilha pudesse guardar a mercadoria. Boa parte dos produtos - entre eles TVs de LCD, aparelhos de ar condicionado, bicicletas, tênis, livros, roupas, utensílios domésticos, cadeirinhas veiculares para bebês e pneus - estava com etiquetas da Americana.com e Submarino.

 

Nenhuma nota fiscal ou arma foi encontrada com a quadrilha. Não se sabe ainda se a mercadoria é roubada ou desviada. Testemunhas disseram para a polícia que, na quarta-feira, 13, outro caminhão parou em frente ao imóvel e dele também foram descarregados produtos da mesma espécie. O caminhão apreendido nesta sexta-feira não tem queixa de roubo. O dono foi contactado pelos policiais e afirmou que o veículo está alugado.

 

Cinco dos detidos aceitaram continuar a transferência da carga antes de todos irem para o plantão do 1º Distrito Policial de Osasco. Um deles se negou a realizar o serviço e disse aos policiais: "Eu não vou carregar porque toda vez que sou preso é essa história...", essas foram as palavras de um dos detidos, todos maiores de idade, que, juntos, acumulam passagens por tráfico, assalto, furto e homicídio.

Mais conteúdo sobre:
Roubo, quadrilha, carga, Osasco

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.