Polícia procura por suspeito de matar esposa e filha em Carapicuíba (SP)

Desconfiados, os vizinhos foram até o quintal da casa das vítimas e, pela janela do quarto, viram as vítimas na cama

Ricardo Valota, do estadão.com.br,

10 Março 2011 | 03h40

SÃO PAULO - Agentes do Setor de Homicídios de Carapicuíba, na Grande São Paulo, estão à procura do pedreiro Raimundo Carlos Prado, de 40 anos, principal suspeito pelas mortes da esposa, a camareira Lidiana Fernandes Ribeiro Prado, de 24 anos, e da filha, Munique Evelin Prado, de 7 anos.

Eram 20h30 quando os vizinhos da família - que mora na Rua Pico da Bandeira, no Jardim Planalto, em Carapicuíba - sentiram um forte cheiro de queimado. Durante todo o dia, a camareira não havia saído de casa - fato raro - segundo os que conheciam a vítima.

Ao entrarem na casa, os vizinhos encontraram a filha mais velha do casal. A garota, de 12 anos, que fazia a comida e havia se descuidado do fogão, disse que a mãe e a irmã dormiam e que, segundo o pai dela, não era para abrir a porta do quarto pois elas estavam dormindo e não queriam ser incomodadas.

Ao ser indagada sobre o pai, a adolescente disse que Raimundo, pela manhã, ao deixar o quarto e antes de sair de casa, havia recomendado a garota que não importunasse a mãe e a irmã, pois elas iriam dormir até mais tarde. Ainda mais desconfiados, os vizinhos então foram até o quintal e, pela janela do quarto, viram mãe e filha na cama. Ambas estavam mortas e com algumas lesões no rosto.

Até as 3 horas desta madrugada de quinta-feira, 10, a perícia ainda não havia informado à Delegacia Central de Carapicuíba - onde o caso será registrado - a causa da morte da camareira e a menina, mas acredita-se que, além das agressões, ambas foram vítimas também de sufocamento. O pedreiro continua desaparecido e é o principal suspeito pelas mortes.

Mais conteúdo sobre:
políciapedreiroassassinato

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.