Polícia procura corpo em sítio de goleiro e Flamengo afasta jogador

Nas buscas, foram apreendidas uma fralda e uma passagem aérea; técnicos analisaram supostos vestígios de sangue em propriedade

Eduardo Kattah, O Estado de S.Paulo

29 de junho de 2010 | 00h00

 

BELO HORIZONTE - A polícia apertou o cerco ontem ao goleiro do Flamengo, Bruno Fernandes, de 25 anos, nas investigações sobre o desaparecimento da ex-amante Eliza Samudio, também de 25, com quem teria um filho de 4 meses. Em buscas no sítio do jogador, foram recolhidas uma fralda e uma passagem aérea. A polícia técnica usava luminol para verificar supostos vestígios de sangue.

 

Veja também:

linkJustiça de Minas emite mandado de busca em sítio de goleiro do Flamengo

linkGoleiro do Flamengo é afastado durante intertemporada

Investigadores trabalham com a hipótese de a jovem ter sido morta na propriedade do jogador, em Esmeraldas, região metropolitana de Belo Horizonte. Policiais chegaram ao local às 16h30. Mais tarde, bombeiros foram acionados e informaram que havia suspeita da presença de um corpo numa cisterna - fato não confirmado até o fim da noite.

Em reunião com a presidente do Flamengo, Patrícia Amorim, e o vice-presidente jurídico do clube, Rafael De Piro, o atleta negou envolvimento. Mas acabou afastado da intertemporada que o time inicia hoje em Itu. "Foi uma decisão tomada com o atleta, pois ele está na iminência de ser convocado a prestar esclarecimentos à polícia", disse De Piro. Segundo ele, Bruno "está abalado, pois o fato é grave, mas tem todo o interesse em resolver o assunto".

A delegada de Contagem Alessandra Wilke reiterou ontem que instaurou inquérito após receber denúncia anônima, na quinta-feira. "Dizia que Bruno e mais dois amigos teriam espancado Eliza, ocultado o corpo e queimado as roupas dela." A delegada informou que Bruno será ouvido "no momento mais oportuno", ainda nesta semana. Mas recomendou que o goleiro não viaje. "Ele tem de esclarecer o que aconteceu."

Funcionários do sítio e outras testemunhas contam que Bruno esteve no local entre os dias 6 e 10 deste mês. Desde o início de junho, parentes e amigos perderam o contato com Eliza. Ela teria dito que iria a Minas com o filho a convite de Bruno. No dia 7, segundo funcionários do sítio, Luiz Henrique, o Macarrão - amigo de infância e espécie de faz-tudo do goleiro -, chegou ao sítio com a criança. Registrado como Bruno pela mãe, o bebê foi apresentado como "Ryan".

Em seu depoimento à polícia, a mulher do goleiro, Dayane de Souza, afirmou que o marido teria alegado que Eliza abandonara a criança. A mulher de Bruno chegou a ser presa em flagrante por subtração de incapaz na sexta-feira, mas ganhou direito a responder ao processo em liberdade na manhã seguinte. Ela teria ocultado o paradeiro do bebê por ordem do marido, mas, no sábado, a criança foi localizada numa residência de Contagem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.