Arquivo pessoal/Divulgação
Arquivo pessoal/Divulgação

Polícia prende um dos ladrões que invadiu casa de veraneio no Guarujá

Foto que mostra invasão se espalhou pelas redes sociais; tia do suspeito disse que reconheceu sobrinho pelo Facebook

Zuleide de Barros, Especial para O Estado

21 Janeiro 2014 | 19h24

GUARUJÁ - A Polícia do Guarujá prendeu nesta terça-feira, 21, um dos integrantes da quadrilha que assaltou no sábado, 18, o grupo de nove turistas que havia alugado uma casa de temporada na Praia de Pernambuco, em Guarujá, litoral de São Paulo. Outros dois suspeitos já foram identificados, mas estão foragidos. A prisão temporária da dupla já foi decretada. Um dos suspeitos foi flagrado com uma arma, no momento em que pulava o muro, a fim de assaltar a casa. A foto foi registrada pela câmera do celular de uma das vitimas, que fazia imagens do namorado na piscina. Ela postou a foto nas redes sociais, o que possibilitou a identificação do assaltante.

A jovem de 19 anos, que não quis se identificar, contou à Polícia que depois de pular o muro o rapaz rendeu todo mundo e ainda abriu o portão para que dois comparsas, também armados, entrassem na casa, vasculhando tudo. Eles roubaram joias, relógios, dinheiro, máquinas digitais, celulares, tênis e até roupas dos veranistas. A vítima conseguiu salvar seu celular ao se esconder atrás da porta de um dos quartos. O ladrão chegou a invadir o cômodo, mas não percebeu sua presença. A vítima conta que só no dia seguinte é que se deu conta das imagens captadas em seu aparelho.

Buscas. De acordo com o chefe dos Investigadores da Delegacia de Guarujá, Paulo Carvalhal, a busca pelos suspeitos aconteceu na noite de sábado, 18, logo depois que os veranistas registraram o boletim de ocorrência. Embora negasse a autoria do crime, o rapaz preso, identificado como Jackson de Almeida Oliveira, de 19 anos, vestia a camisa de uma das vítimas. O infrator já tinha passagens por roubo, ainda quando menor, e por furto depois dos 18 anos. Seus dois companheiros, Jonas dos Passos Araújo, de 19 anos, identificado na foto postada nas redes sociais, e Mateus Henrique da Silva, de 18, também têm passagens pela Polícia. Carvalhal, que coordenou as investigações, informou que nas buscas feitas na residência de Jonas, uma tia informou ter visto a imagem do sobrinho no Facebook.

Após postar a imagem do ladrão pulando o muro, a jovem que registrou a imagem desabafou: "você trabalha de segunda a sexta, ganha seu dinheiro suado e, quando vai tirar um lazer, olha o que acontece. Até onde essa impunidade vai". Ao avaliar as imagens postadas, o investigador-chefe destacou a importância de as vítimas apresentarem as provas à Polícia. "Acredito que, se tivéssemos essas imagens nas mãos, no momento da elaboração do boletim de ocorrência, os três marginais já estariam presos", disse.

Mais conteúdo sobre:
assaltoGuarujáSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.