MARCELO GONCALVES/SIGMAPRESS
MARCELO GONCALVES/SIGMAPRESS

Polícia prende terceiro suspeito de envolvimento com morte de soldado em Paraisópolis

Eliane Figueiredo teria participado de tortura e assassinato da PM Juliane dos Santos Duarte. A polícia continua investigando o caso

O Estado de S.Paulo

10 Setembro 2018 | 18h46

SÃO PAULO - A Polícia Civil prendeu na manhã desta segunda-feira, 10, uma mulher de 29 anos investigada por suposto envolvimento na morte da policial militar Juliane dos Santos Duarte, de 27 anos, encontrada morta em agosto passado após desaparecer em Paraisópolis, zona sul de São Paulo. Segundo a Secretaria da Segurança Pública (SSP), a Justiça decretou prisão temporária da suspeita, o que representa a terceira prisão do caso. A polícia continua investigando a morte.

Segundo o portal G1, a mulher presa é Eliane Cristina Oliveira Figueiredo, que já havia sido ouvida pela polícia nas investigações da morte da policial. Ela foi liberada, mas foi presa nesta manhã. A SSP, em nota, não confirmou nem negou a informação, dizendo apenas que detalhes do caso não podem ser repassados, pois o inquérito tramita sob segredo de Justiça. Ainda segundo o portal, a suspeita é apontada como uma das autoras de tortura e do assassinato da policial.

Além dela, estão presos Felipe Oliveira da Silva, identificado ao deixar a motocicleta da vítima em uma praça na zona oeste, e Everaldo da Silva Félix, que tentou escapar ao se deparar com uma guarnição da PM em Paraisópolis. As investigações preliminares apontam que a soldado Juliane foi morta por ser policial militar. Ela foi abordada em um bar e permaneceu desaparecida até ter o corpo localizado na mala de um veículo na zona sul da capital.

Mais conteúdo sobre:
Polícia Civilmulher

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.