EDISON TEMOTEO/FUTURA PRESS
EDISON TEMOTEO/FUTURA PRESS

Polícia prende suspeito de participar de assalto a transportadora

Vigia teria facilitado ação da quadrilha que roubou R$ 6,7 milhões de empresa na zona leste; não há pistas sobre demais integrantes

Felipe Palma e Felipe Resk, O Estado de S. Paulo

24 Abril 2015 | 08h40

SÃO PAULO - A Polícia Civil prendeu nesta quinta-feira, 23, um vigia suspeito de participar do assalto milionário a uma transportadora de valores, em São Mateus, na zona leste da capital paulista. Para os policiais, ele deu indícios de ter facilitado a ação da quadrilha, que roubou R$ 6,7 milhões, na noite da última quarta-feira, 22. A prisão temporária de cinco dias já foi decretada pela Justiça.

O suspeito saiu algemado da sede do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) e foi levado para o 77º Distrito Policial (Santa Cecília), no centro de São Paulo. O vigia teria entrado em contradição durante o depoimento colhido pelos policiais, que suspeitam que ele tenha fornecido informações privilegiadas aos criminosos. Ainda não há pistas sobre os demais integrantes da quadrilha. 

Quinze assaltantes, armados com espingardas, fuzis e metralhadoras, participaram da ação criminosa em uma unidade da Tecnologia Bancária (TecBan), que fica na Rua Forte Cananeia. A empresa é responsável por transportar valores e distribuir dinheiro em caixas eletrônicos.

A quadrilha chegou ao local no momento em que carro-forte era descarregado. Uma testemunha afirmou que logo depois de estacionarem para  retirar os malotes de dinheiro, um Volkswagen Gol, de cor branca, com logotipos da empresa, entrou na unidade e surpreendeu os vigilantes. Uma Kombi, usada pelos criminosos, ficou do lado de fora para dar cobertura.

Houve uma intensa troca de tiros entre os vigilantes e os bandidos. A perícia recolheu no local cerca de 60 cartuchos deflagrados de armas diferentes. Os policiais encontraram cápsulas de calibre 12, de espingarda, .223 e 7,62 mm, de fuzil, 38, de revólver e .50, o calibre mais poderoso de metralhadora - usado até para abater helicóptero.

A quadrilha ainda incendiou dois veículos: o Gol, usado para entrar na empresa, e um caminhão, que ficou atravessado na rua da transportadora para dificultar a chegada da polícia. Ambos eram roubados. 

Em nota, a TecBan informou que "está colaborando com as autoridades competentes nas investigações em curso". Ainda segundo a empresa, "o ocorrido não trouxe impactos para as operações da empresa e tampouco para o atendimento à população".

Mais conteúdo sobre:
Violência São Paulo São Mateus

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.