RAFAEL ARBEX | ESTADAO
RAFAEL ARBEX | ESTADAO

Polícia prende suspeito de começar incêndio em Paraisópolis

Rapaz de 20 anos teria ateado fogo em fios de cobre; após chamas se espalharem, moradores tentaram linchá-lo, mas ele foi salvo por PMs

Bruno Ribeiro, O Estado de S. Paulo

15 Maio 2016 | 15h22

SÃO PAULO - A Polícia Militar deteve um rapaz suspeito de provocar acidentalmente o incêndio que destruiu cerca de 100 casas na favela de Paraisópolis, zona sul de São Paulo, na noite do último sábado, 14. Ele está no 89.º Distrito Policial (Morumbi).

Segundo os PMs informaram na delegacia, testemunhas disseram que Matheus Rodrigues da Silva, de 20 anos, havia ateado fogo em fios de cobre dentro do depósito de material de reciclagem de sua família. A prática é comum entre catadores de sucata para separar o plástico que envolve os fios, sem valor, da liga de cobre, que pode ser revendida. 

Entretanto, enquanto realizava a queima, o fogo teria saído do controle e atingido as paredes do depósito, que eram de madeira. De lá, as chamas se espalharam. Segundo os bombeiros, o incêndio se alastrou por uma área de mil metros quadrados. 

Ainda segundo a PM, Silva teria tentado fugir da favela ao tomar ciência do tamanho do acidente. Mas ele teria sido cercado por vizinhos, que o cercaram e o espancaram. A tentativa de linchamento foi evitada pelos policiais, que já estavam dentro da favela para ajudar o trabalho do Corpo de Bombeiros. Nenhum dos agressores, entretanto, foi detido pelos policiais. 

Na delegacia, Silva negou que a versão do fogo nos fios fosse correta. Ao apresentar sua versão dos fatos, disse que o fogo teria partido de um curto-circuito acidental. 

A área onde o incêndio teve início passou por perícia do Instituto de Criminalística, segundo a Secretaria de Estado da Segurança Pública. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.