Divulgação
Divulgação

Polícia prende suspeito de atropelar e matar ciclista em Jundiaí

Motorista é acusado de passar sinal vermelho, atingir Luan Serra Cezar e fugir sem prestar socorro; após depoimento, ele foi liberado

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

13 de outubro de 2015 | 13h41

SOROCABA - A Polícia Civil prendeu, na manhã desta terça-feira, 13, em Jundiaí, interior de São Paulo, o motorista acusado de passar um sinal vermelho, atropelar e matar um ciclista, fugindo sem prestar socorro. O acidente aconteceu no dia 27 de setembro, durante a madrugada. Câmeras gravaram o momento do acidente.

A vítima, Luan Serra Cezar, de 21 anos, pedalava em uma passagem de pedestres, quando o veículo o atingiu. Cezar foi lançado a dez metros e chegou a ser socorrido, mas não resistiu.

O acusado, Rodrigues Santos Oliveira, de 41 anos, foi preso quando chegava ao trabalho. De acordo com o delegado do 7.º Distrito Policial, Josias Guimarães, ele confessou o atropelamento, mas disse que o sinal estava amarelo e que parou mais adiante para prestar socorro. Porém, desistiu ao ver que havia muitas pessoas no local.

O delegado contestou a versão. "Não há nada que indique que ele fale a verdade. Apuramos que o sinal estava vermelho e imagens mostram que ele nem reduziu a marcha após atingir a vítima."

Familiares do ciclista, que neste ano se formaria em Educação Física, chegaram a fazer manifestações pedindo justiça. A polícia chegou ao suspeito depois de analisar as imagens do vídeo e rastrear os veículos com características semelhantes.

Oliveira prestou depoimento e foi liberado no início da tarde. Como ele fugiu após o acidente, não foi possível o exame para apurar se dirigia embriagado. Ele vai responder por homicídio culposo, sem intenção de matar, e omissão de socorro.

Segundo o delegado, o acusado tentou se livrar do veículo, entregando-o a uma concessionária. O carro foi apreendido e passará por perícia.

Tudo o que sabemos sobre:
JundiaíSão PauloViolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.