Deic/Polícia Civil/Divulgação
Deic/Polícia Civil/Divulgação

Polícia prende porta-voz do PCC no interior de São Paulo

Lapa foi capturado em Salto; segundo investigações, ele tomava decisões na ausência de líderes presos e estaria articulando ação

O Estado de S. Paulo

19 Novembro 2015 | 11h51

SÃO PAULO - A Polícia Civil prendeu na tarde desta quarta-feira, 18, Eduardo Lapa dos Santos, o Lapa, apontado como porta-voz da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) e responsável por fazer a ligação entre lideranças presas e integrantes nas ruas. Ele foi capturado em uma chácara dentro de um condomínio fechado em Salto, no interior de São Paulo.

Segundo apurações do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), Lapa era quem tomava decisões na ausência de líderes presos e estaria articulando uma ação na região de Bauru. Os policiais monitoraram reuniões entre lideranças do PCC e suspeitam que a operação serviria para realizar atentados contra funcionários de presídios ou resgatar presos.

Em outubro, policiais militares receberam denúncia anônima e surpreenderam líderes do PCC durante reunião em uma chácara de Bauru. Houve confronto e três suspeitos morreram. Entre eles, estava Anderson Conceição de Lira, o Profeta, apontado como uma liderança externa da facção. A ocorrência terminou ainda com a prisão de outros dois suspeitos de liderar o PCC: Pedro Luiz da Silva Moraes, o Chacal, e Ademir Laurindo de Moraes, o Mi.

De acordo com as investigações, Lapa teria se reunido com esses suspeitos para organizar o ataque em Bauru e conseguido se refugiar em Salto.

Segundo a Polícia Civil, ele foi preso pouco antes de tentar fugir, ao perceber uma movimentação estranha nos arredores da chácara com desconhecidos passando pela rua e até sobrevoo de um helicóptero.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.