Polícia prende em Guarulhos suspeito de estupros

Leandro é acusado de matar duas mulheres e abusar sexualmente de outras duas

Andressa Zanandrea, do Jornal da Tarde,

27 de agosto de 2008 | 09h49

Leandro Basílio Rodrigues, de 19 anos, foi preso na madrugada desta quarta-feira, 27, em São Paulo. Ele matou duas mulheres e abusou sexualmente de outras duas. Na delegacia, o rapaz foi reconhecido por uma vítima que teria conseguido escapar dele. Ela conseguiu identificá-lo graças a uma cicatriz no olho esquerdo e uma tatuagem de palhaço no braço esquerdo. "Ele é frio e não sabe explicar o porquê dos crimes", afirmou o tenente Lemos.   Ao ser preso, Rodrigues afirmou aos policiais que já teria assassinado pelo menos 50 mulheres, mas que em nenhum dos casos usou da violência sexual. No entanto, ele estaria sob efeito de crack e a informação não seria verdadeira. "Ele nega que tenha estuprado suas vítimas e afirma que elas foram enforcadas", disse o sargento Leandro Batista, um dos policiais que detiveram o suspeito. Dois homicídios teriam ocorrido entre o final da noite de terça-feira e a madrugada desta quarta-feira, 27.     Entre a noite de terça-feira e a madrugada de quarta, ainda segundo a polícia, Rodrigues teria matado outra mulher, na Rua Vitor Costa, no Jardim Paraventi, também em Guarulhos.  Segundo a polícia, Rodrigues estaria em Guarulhos há oito meses e já havia, inclusive, sido expulso por traficantes da Favela do Jardim Industrial, onde morava, após supostamente ter matado uma pessoa da comunidade.   Prisão   Leandro foi abordado por policiais ao passar em frente à base da 4.ª Companhia do 15.º Batalhão, na Avenida Brigadeiro Faria Lima, no Jardim Bom Clima, por volta das 2 horas. Os policiais reconheceram o suspeito graças a uma foto, que havia sido conseguida no barraco em que morava.   "Havia uma investigação de diversos homicídios e estupros em Guarulhos. Hoje ele passou em frente à base e os policiais começaram a conversar com ele, que acabou confessando ter matado uma moça, mas disse não ter consumado o estupro", disse o tenente Herick de Araújo Lemos.   Os policiais foram, então, até o local indicado pelo suspeito, o Ginásio Poliesportivo Paschoal Thomeo, na Avenida João Bernardo Medeiros, no Bom Clima, onde o corpo foi encontrado. A moça, ainda não identificada, estava com as calças abaixadas e teria sido morta por esganadura.   (Com informações de Solange Spigliatti e Ricardo Valota, do estadao.com.br)   Texto alterado às 18h04 para acréscimo de informações.

Tudo o que sabemos sobre:
prisãoestuproassassinato

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.