Divulgação/Polícia Civil
Divulgação/Polícia Civil

Polícia prende dupla suspeita de sequestrar Uber e planejar roubo de carga

Homens realizaram sequência de assaltos e foram localizados em Ribeirão Preto; eles responderão por roubo, sequestro e associação criminosa

O Estado de S.Paulo

23 Novembro 2016 | 23h57

SÃO PAULO - A Polícia Civil prendeu nesta terça-feira, 22, dois homens suspeitos de realizar um sequestro contra um motorista do Uber em São Paulo, realizar uma série de assaltos e planejar executar um roubo de carga na região. A investigação, que durou um mês, resultou na localização e detenção de Sérgio Robson da Silva, de 38 anos, e de Fernando Otávio Damasceno, de 34, em uma casa em Ribeirão Preto, interior paulista.

Segundo a polícia, a dupla havia chegado à capital no dia 28 de outubro visando a preparar um roubo de carga. Nas imediações do Terminal Tietê, na zona norte, os homens abordaram e roubaram um motorista que atendia a um chamado do Uber, fugindo com o condutor no carro modelo Renault Fluence. O homem, cuja identidade não foi revelada, foi levado para um cativeiro na cidade de Guararema, na região metropolitana, onde permaneceu mais de um dia.

A investigação mostrou que o veículo seria usado no roubo de carga, mas os homens acabaram enfrentando problemas na execução do crime na manhã seguinte. Eles, então, teriam abandonado o veículo para não chamar atenção da polícia e foram em busca de outro carro. Na Grande São Paulo, roubaram um modelo Fox e realizaram uma série de assaltos na sequência. 

Após abandonar o segundo carro, a dupla desistiu do assalto planejado ao caminhão e voltou a Ribeirão Preto. Eles foram localizados por equipes do Núcelo de Roubos de Carga, da Delegacia de Mogi, que cumpriu sete mandados de busca e apreensão, dois de prisão temporária por 30 dias. De acordo com a polícia, as vítimas reconheceram os suspeitos. Eles responderão aos crimes de roubo, sequestro e associação criminosa. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.