Polícia prende duas irmãs suspeitas de envolvimento com quadrilha em Cotia

Após denúncia, policiais chegaram até Natalie e Pamela; dupla escondia em residência um fuzil com 30 munições, coletes, dinheiro e uma pistola calibre 380

Ricardo Valota, do estadão.com.br,

30 Março 2011 | 02h58

SÃO PAULO - Duas irmãs foram presas por policiais militares das Rondas Ostensiva Tobias Aguiar (ROTA), nesta terça-feira, 29, em Cotia, na Grande São Paulo, portando armas e assessórios da Polícia Civil.

 

Os policiais chegaram até Pamela Cristina, de 28 anos, e Natalie Leite Martins, de 26, após receberem uma denúncia de que, na garagem da rua Felipe Tena, no Jardim Suave Recanto, haveria vários suspeitos com um veículo roubado.

 

No local, a equipe encontrou um Palio Weekend cinza e dentro dele um colete, três camisetas e dois distintivos com inscrições da Polícia Civil. No interior da residência, foram apreendidos um fuzil com 30 munições, e outros dois coletes, mas ninguém foi encontrado.

 

Enquanto vistoriavam o interior da casa, Pamela, moradora do imóvel, chegou em um Meriva prata e afirmou que o material pertencia ao marido. Mas, ao revistar o veículo dela, os policiais encontraram quatro mil reais e uma pistola calibre 380, com onze munições e deram voz de prisão à motorista.

 

Ao ser detida, a jovem ligou para o celular do marido e contou o que estava ocorrendo. Eduardo da Silva Correa, que é foragido da justiça, então conversou com os policiais e ofereceu R$ 24 mil para que os PMs liberassem a esposa dele.

 

Fingindo aceitar o suborno, os policiais esperaram no local pelo dinheiro, que foi enviado por Natalie, irmã de Pamela, cunhada de Eduardo. A outra jovem também acabou presa. O suposto cabeça da quadrilha e dono do dinheiro, ao perceber que a esposa e a cunhada estavam presas, resolveu fugir.

 

O tipo de material encontrado na casa e dentro dos dois carros leva a polícia a acreditar que as duas irmãs e Eduardo façam parte de uma quadrilha especializada em roubo, extorsão mediante sequestro e estelionato. Com a prisão das duas irmãs, policiais do Deic, onde o caso foi registrado, esperam chegar a outros membros desta quadrilha.

Natalie e Pamela foram autuadas em flagrante por porte de arma e corrupção ativa pelo delegado Marcio Martins Mathias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.