Google Street View
Google Street View

Polícia prende dois suspeitos de matar policial na Vila Medeiros

Três dias após o crime, homem de 30 anos, foragido da justiça, foi detido em Campinas e adolescente foi localizado em São Paulo

Paulo Roberto Netto, O Estado de S.Paulo

19 Junho 2018 | 13h17

SÃO PAULO - Dois suspeitos de participação no roubo e assassinato de um policial militar na Vila Medeiros, zona norte de São Paulo, foram presos nesta segunda-feira, 18. O crime ocorreu na última sexta-feira, 15, quando o militar Rogério Penha Pereira reagiu a um assalto, perdeu a arma e foi baleado.

+ PM reage a assalto e é morto a tiros na zona norte de São Paulo

De acordo com a Secretaria de Estado de Segurança Pública, o primeiro suspeito, um homem de 30 anos, foi preso por policiais da Rota na tarde de segunda-feira em Campinas, na Grande São Paulo. O suspeito foi localizado após a denúncia do crime e tinha um mandado de prisão aberto, sendo considerado foragido da justiça.

No mesmo dia, policiais da 10ª Delegacia de Polícia Civil apreenderam um adolescente de 17 anos que também foi identificado por testemunhas. Ele foi encontrado em São Paulo. Ambos foram encaminhados ao 90º DP (Parque Novo Mundo), responsável pelas investigações.

+ De janeiro a agosto de 2017, morreram ‘no trabalho’ 482 policiais

Latrocínio. O militar Rogério Penha Pereira, ocupado na Corregedoria da Polícia Militar de São Paulo, foi assassinado na última sexta-feira, 15, quando foi à Vila Medeiros com uma amiga buscar um celular comprado pela internet.

Ao chegar no local indicado, foi surpreendido por três criminosos que anunciaram o assalto. O policial reagiu, entrou em luta corporal com o trio e teve a arma roubada por um dos suspeitos. O militar levou quatro tiros. Apesar de ter sido encaminhado ao Hospital Municipal Vereador José Storopolli, ele não resistiu aos ferimentos.

+ Polícia prende suspeito de cometer latrocínio em padaria no Morumbi

No mesmo dia, um jovem de 19 anos foi localizado e preso pela Polícia Militar. Ele confessou participação no crime e colaborou na identificação dos dois comparsas. O suspeito foi autuado pelos crimes de latrocínio, lesão corporal, resistência, desobediência, corrupção de menor e roubo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.