Polícia prende dois investigadores acusados de extorquir Abadia

No total, 17 policiais são investigados por extorsão, extorsão mediante sequestro e formação de quadrilha

Efe,

15 de agosto de 2009 | 17h46

Dois investigadores foram presos neste sábado, 15, em São Paulo pela Corregedoria da Polícia Civil acusados de extorquir os integrantes da quadrilha do traficante colombiano Juan Carlos Abadia, preso em 2007.

Segundo a Corregedoria, eles pediam dinheiro para o traficante, um dos mais procurados do mundo, para permitir que ele permanecesse em liberdade no Brasil. Foram expedidas ordens de prisão contra mais três detetives.

O chefe da Divisão de Crimes Funcionais da Corregedoria, Paulo Caetano Filho, assegurou que os cinco acusados aparecem em quatro investigações diferentes sobre extorsão ao grupo de Abadia. Eles serão processados por extorsão, extorsão mediante sequestro e formação de quadrilha. No total, 20 pessoas estão sendo investigadas. Destas, 17 são policiais.

"Estes crimes foram conhecidos após a prisão de Abadia, quando ele disse ter sido vítima de extorsão. Os maus policiais serão expurgados, independente de sua patente", disse Caetano Filho.

Ainda de acordo com Caetano Filho, um dos detetives presos é acusado de sequestrar um piloto que servia o traficante e de exigir uma moto para deixá-lo em liberdade. O outro é acusado de extorquir um auxiliar do traficante.

Abadia ficou preso durante um ano no Brasil e foi extraditado no ano passado para os EUA, onde é processado por 15 homicídios, tráfico internacional de drogas e crimes financeiros. Sua fortuna era calculada pela Polícia Federal em US$ 1,8 bilhão.

Tudo o que sabemos sobre:
AbadiaextorsãoPolícia Civil

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.