Polícia prende dois chilenos por furto em aeroporto

Segundo Secretaria da Segurança Pública, a dupla integrava quadrilha que é investigada por cometer furtos em terminais de SP

Felipe Neves - Especial para o Estado e Laura Maia de Castro - O Estado de S. Paulo

17 de junho de 2014 | 09h35

Atualizado às 21h35

SÃO PAULO - A Polícia Civil prendeu na noite desta segunda-feira, 16, dois chilenos suspeitos de integrarem uma quadrilha que cometia furtos em aeroportos e saguões de hotéis de São Paulo há cerca de seis meses. A dupla foi presa no centro da capital paulista após a polícia rastrear o carro alugado que um deles usou para sair do Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas.

Segundo o delegado Oswaldo Nico, da Divisão Especial de Atendimento ao Turista (Deatur), Jaime Barraza, de 43 anos, já tinha sido preso por furto há seis meses em São Caetano, na Região Metropolitana de São Paulo. "É um ladrão 'refinado' que há cerca de seis meses traz pessoas do Chile para roubar aqui em aeroportos, saguões de hotéis e grandes eventos", disse Nico. 

" SRC="HTTP://CMS11.ESTADAO.COM.BR/CMS/ICONS/MM.PNG

Barraza tinha furtado ao menos uma mala na tarde desta segunda-feira com a ajuda de três mulheres que ainda não foram identificadas pela polícia. Imagens das câmeras de segurança do Aeroporto Viracopos registraram a ação do grupo que durou cerca de 15 minutos. Na praça de alimentação, os criminosos aproveitaram a distração dos passageiros para atuarem sem levantar suspeita e fugiram no carro em que chegaram - alugado com documentos falsos.

Após analisar as imagens, a polícia rastreou o veículo, que foi localizado na Rua Aurora, nos Campos Elísios, na região central da capital paulista, por volta das 21h30.  Barraza e Michael Arias, de 31 anos, foram encontrados com os objetos furtados no aeroporto, como tablet, bolsas, óculos escuros, jaquetas e celulares.

 

A Polícia tenta identificar os outros integrantes da quadrilha, entre eles as três mulheres flagradas pelas câmeras de Viracopos.

"Eles usavam as mulheres para distrair as vítimas. Desta vez, eles ficarão presos por associação criminosa, além do furto", disse o delegado.

Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.