Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Polícia prende casal em esquema de furto de combustível no ABC Paulista

Um túnel de 40 metros, que passava por baixo de três casas, foi construído para extrair o produto da refinaria de Capuava

Ludimila Honorato, O Estado de S.Paulo

12 Dezembro 2017 | 02h11
Atualizado 13 Dezembro 2017 | 08h00

SÃO PAULO - A Polícia Civil prendeu na tarde deste domingo, 10, em Santo André, região do ABC Paulista, um casal ligado a um esquema de furto de combustível da refinaria de Capuava (Recap), da Petrobrás, localizada em Mauá. O casal foi preso em flagrante e responderá pelos crimes de furto continuado e associação criminosa.

++ Polícia descobre túnel de ladrões que levaria a cofre do Banco do Brasil

Após investigação, policiais do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) foram até a residência e encontraram um poço de três metros de profundidade e um túnel de cerca de 40 metros que passava por baixo de três casas, segundo a Polícia Civil. A ação foi coordenada por equipes da 3ª Delegacia de Investigações sobre Crimes Patrimoniais contra Órgãos e Serviços Públicos (3ª Patrimônio).

++ ESPECIAL: A história do furto ao Banco Central em Fortaleza

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP) de São Paulo, a extração era realizada por meio da técnica de trepanação, em que o duto do combustível é furado e o produto, transferido para um tanque. Os suspeitos colocaram um válvula no duto e o óleo seguia por uma mangueira até um tanque de 20 mil litros escondido em um caminhão. O Recap é responsável pela produção de 30% do produto comercializado na região da Grande São Paulo, segundo a SSP.

++ Veja casos de assaltos com uso de túneis

A polícia encontrou três crianças no imóvel, que tinha forte cheiro de óleo diesel. Os criminosos usavam perfume para disfarçar o odor. A Transpetro esteve no local para analisar as condições da obra e o grau de periculosidade devido ao cheiro e vapores exalados pelo duto.

As investigações continuam para apurar a participação de outros envolvidos, inclusive se houve a colaboração de profissionais técnicos habilitados, uma vez que a obra é de alta complexidade.

Em nota, a Transpetro confirmou que constatou uma intervenção clandestina em um oleoduto no bairro Vila Palmares. "Não houve vazamento e não há risco de explosão. Equipes da companhia foram mobilizadas para realizar o reparo no duto".

Segundo a nota, a maior preocupação da companhia é com a segurança das famílias pois intervenções criminosas nos dutos podem trazer riscos para a comunidade. "A participação dos moradores é muito importante. Eles podem entrar em contato com a Transpetro por meio do telefone 168 caso identifiquem qualquer movimentação suspeita na faixa de dutos ou em terrenos próximos ou queiram enviar dúvidas, reclamações ou sugestões".

A ligação é grátis e o telefone funciona 24 horas por dia, sete dias por semana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.