Polícia prende bandido ligado ao PCC na Água Fria

Com ele, foram apreendidas duas armas, dinheiro, munições e cartas escritas por membros da facção

Andressa Zanandrea, do Jornal da Tarde,

28 de novembro de 2007 | 06h34

Um homem identificado como gerente do tráfico na Favela da Vila Aurora, na região da Água Fria, Zona Norte, foi preso pela polícia na noite de terça-feira, 27. Com três inquéritos de homicídio e um de tráfico, José Ailton Santos, o China, de 32 anos, era, segundo a polícia, fugitivo da Penitenciária de Valparaíso, no Interior, desde o ano passado. Com ele, além de duas armas, dinheiro e munições, foram apreendidas duas cartas que teriam sido escritas por membros do Primeiro Comando da Capital (PCC). Há algumas semanas, a polícia recebeu denúncias de moradores sobre as ações de China na favela. Na terça-feira, por volta das 19h30, homens da Força Tática do 43º Batalhão flagraram o criminoso na Rua Charles Cameron. De acordo com os policiais, ele tentou fugir por uma viela, entrou em uma escada de uma residência e jogou duas armas - um revólver calibre 38 e uma pistola 9 mm, os dois superpolidos e com numerações raspadas - dentro da casa. Os policiais conseguiram prendê-lo. Nos bolsos da jaqueta usada por China, encontraram 15 munições calibre 38 e uma de 9 mm, além de três celulares e plásticos que seriam usados para embalar drogas. Ele também carregava uma nota falsa de R$ 10, R$ 70 em dinheiro e US$ 25. As cartas recebidas de membros do PCC estavam guardadas dentro da carteira. "Ele deixou claro que é do PCC e confirmou que atua na área há aproximadamente um ano", disse um dos policiais, que pediu para não ser identificado. Na região, o maior movimento de drogas é de crack e de cocaína, de acordo com a polícia. Buscas foram feitas à casa de China, mas nada foi encontrado. "Ele falou que não leva droga para casa. O filho dele nasceu há menos de um mês", contou um dos policiais. Ainda de acordo com a polícia, China costumava afirmar que atiraria contra viaturas que cruzassem o caminho dele e que iria matar um policial. Mas foi detido antes disso.

Tudo o que sabemos sobre:
PCCprisão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.