Polícia Civil
Polícia Civil

Polícia prende atirador que atuava para o tráfico na Cracolândia

Anderson Alves de Siqueira Bernardino Kunzle foi flagrado com armas e disparando contra agentes de segurança no antigo 'fluxo'

Marco Antônio Carvalho, O Estado de S.Paulo

30 de junho de 2017 | 13h10

SÃO PAULO - A polícia prendeu na manhã desta sexta-feira, 30, um homem identificado por atuar como atirador para o crime organizado no antigo "fluxo" da Cracolândia, na região central de São Paulo. Anderson Alves de Siqueira Bernardino Kunzle foi encontrado no bairro do Bom Retiro e levado para autuação no Departamento de Prevenção e Repressão ao Narcotráfico (Denarc), da Polícia Civil. Contra ele, a Justiça havia expedido mandado de prisão e era considerado foragido desde o dia 21 de maio.

Há cerca de um mês, a Polícia Civil deflagrou a operação na Cracolândia com o objetivo de prender traficantes e acabar com a feira livre de drogas que funcionava na região.

A investigação realizada pelo Denarc, que monitorava desde o fim do ano passado a atuação do Primeiro Comando da Capital (PCC) no fluxo, flagrou Kunzle portando armas e atirando contra agentes de segurança que atendem a ocorrências no perímetro. 

O homem é desertor do Exército em Pernambuco, onde servia às Forças Armadas. Na internet, ostentava seu armamento, que era usado no fluxo para realizar a segurança dos vendedores da droga.

Procurados

De acordo com a Secretaria de Segurança, mais de 160 pessoas já foram detidas desde a operação no mês passado. Ele é o sexto capturado de uma lista de 39 pessoas com mandados de prisão relativos à investigação na Cracolândia. 

No dia 7,  José Raimundo Almeida Santos, de 22 anos, já havia sido preso pela polícia também sob a suspeita de atuar para a segurança da facção criminosa na região central. Ele foi encontrado na Rua Conselheiro Nébias por uma guarnição da Polícia Militar e portava drogas. Ao tentar oferecer propina aos policiais, foi preso em flagrante.

O Denarc ainda procura 33 suspeitos de ligação com o tráfico na região. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.