Polícia prende 6 membros de quadrilha envolvida na morte de PMs

Grupo também está ligado à morte do bancário italiano Tommaso Vicenza Lotto, em julho

27 de novembro de 2012 | 13h08

SÃO PAULO - A Polícia Civil prendeu seis acusados de envolvimento em assassinatos de policiais militares e em assaltos violentos na Região Metropolitana de São Paulo. As detenções fazem parte da Operação Ponta de Lança, encerrada na manhã desta terça-feira, 27, e foram realizadas no bairro do Campo Limpo, zona sul da capital, e nas cidades de Taubaté e Taboão da Serra.  A ação foi conduzida pela 5ª Delegacia do Patrimônio - Delegacia de Investigações sobre Roubo a Bancos - do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic).

Entre as acusações a que o grupo deve responder, está a tentativa de assalto seguida de morte do bancário italiano Tommaso Vicenza Lotto, de 26 anos, em julho deste ano. 

Ao longo das investigações, a polícia constatou a participação de integrantes do grupo na morte de PMs, afirma o Deic. 

Segundo o delegado Celso Marchiori, titular da 5ª Patrimônio, a operação é um desdobramento das prisões dos empresários Leandro Rafael Pereira da Silva, o Léo Gordo, de 28 anos, e Wellington Viana Alves, o Baré, de 32, que participaram de execuções de policiais militares. 

A princípio, a equipe de investigação procurava os mandantes de roubos violentos em vias públicas, cujo objetivo principal era levar relógios valiosos. No entanto, durante a apuração, a Polícia Civil constatou envolvimento dos investigados em outras atividades criminosas, como o assassinado de ao menos um policial militar. 

Dos seis presos, dois estão envolvidos nos roubos e três na receptação, afirma o Deic. O sexto detido era responsável por produzir documentos falsos para a quadrilha. 

Arma no capacete. De acordo com o delegado Marchiori, da 5ª Patrimonio do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), os acusados desenvolveram um compartimento secreto para guardar uma arma dentro do capacete de motociclista. O grupo atuava com pequenas armas nos assaltos e, depois de cometer o crime, o dispositivo era escondido dentro do capacete e passava despercebido durante revistas policiais.

Ao longo da operação, os policiais apreenderam duas pistolas, dois capacetes e documentos falsos.

Morte de Tommaso. O bancário italiano Tommaso Vicenza Lotto, de 26 anos, foi morto em uma tentativa de assalto na noite do sábado 21 de julho. De acordo com a polícia, Lotto estava no País havia dois dias. Ele dirigia seu carro, um Honda Civic, na Avenida Nove de Julho, quando foi abordado por dois suspeitos em uma moto. O bancário estava acompanhado do advogado espanhol José Ruiz Gallardón Utrera, filho de Alberto Ruiz Gallardón, ministro da Justiça da Espanha.

Durante a tentativa de assalto o italiano foi baleado. Ele chegou a ser encaminhado para o Hospital São Luis, na Avenida Santo Amaro, mas não resistiu aos ferimentos.

MAPA DA VIOLÊNCIA

Homicídios na Grande São Paulo desde o dia 24 de outubro.

Ver Onda de violência em um mapa maior

Mais conteúdo sobre:
quadrilha, policiais, mortes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.