Polícia prende 27 suspeitos de furtarem celulares no festival Lollapalooza

De acordo com os policiais, 78 aparelhos foram recuperados com os bandidos

William Cardoso - O Estado de S.Paulo - Atualizado às 15h10,

01 de abril de 2013 | 14h05

SÃO PAULO - A Polícia Civil prendeu até a manhã desta segunda-feira (1º) 27 pessoas suspeitas de terem furtado celulares durante o Festival Lollapalooza, entre sexta-feira e domingo, no Jockey Club, na zona oeste de São Paulo. Segundo os policiais, 78 aparelhos foram recuperados com os bandidos.

Os criminosos agiram de forma organizada. Os ladrões aproveitaram a aglomeração para furtar a plateia. Eles colocavam etiquetas adesivas nos celulares furtados - para identificar posteriormente quem furtou - e entregavam para mulheres, que escondiam os aparelhos em cintas por debaixo da roupa. "Tomou um vulto maior, porque agem de forma especializada. Em todos os eventos, eles agem nesse sentido. Os investigadores ficam infiltrados e conseguem identificar essas quadrilhas", disse o responsável pelo Departamento de Capturas e Delegacias Especializadas (Decade), Marco Antônio Desgualdo.

O delegado Osvaldo Nico Gonçalves, responsável pela Divisão Policial de Portos, Aeroportos, Proteção ao Turista e Dignitários afirmou que, infelizmente, são comuns furtos como esse durante eventos, porque os ladrões aproveitam a distração das pessoas. "Em todos os shows, nós prendemos. Normalmente, quando é um furto simples, somos obrigados a mandar embora. Não é o que aconteceu nesse caso, porque eles foram enquadrados por formação de bando ou quadrilha."

Nesta segunda, pessoas que tiveram os celulares furtados foram até a sede da Deatur, no Mercado Municipal, para tentar reconhecer os aparelhos que foram recuperados pela polícia.

Notícias relacionadas
Mais conteúdo sobre:
Lollapalooza

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.