Filipe Araújo/AE
Filipe Araújo/AE

Polícia prende 26 envolvidos em jogos de azar na web

Quadrilha movimentava R$ 60 milhões anualmente e tinha faturamento de R$ 5 milhões por mês

Bruno Tavares e Tatiana Fávaro, O Estado de S.Paulo

22 de setembro de 2009 | 16h57

A Polícia Civil de 12 Estados prendeu até a tarde desta terça-feira, 22, 26 pessoas acusadas de pertencerem a uma rede de jogos de azar pela internet que movimentava R$ 60 milhões anualmente. Ao todo, a Operação Novelo, comandada pela polícia de São Paulo, deve cumprir 39 mandados de prisões e mais de 350 mandados de busca e apreensão. Entre as apreensões estão carros de luxo, dinheiro de apostas e computadores.

 

Veja também:

linkPara deputado, falta de leis leva à exploração

 

Os acusados de serem líderes da quadrilha estão entre as pessoas detidas na operação, prevista para durar até as 18h. Conforme a Polícia Civil, o bando faturava R$ 5 milhões todos os meses com os jogos ilegais. Os mandados estão sendo cumpridos em Alagoas, Bahia, Ceará, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Paraíba, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo.

 

As investigações começaram em agosto de 2008 e descobriram que a quadrilha usava dois sistemas nas operações. Um dos sistemas era o fechado, que permitia a exploração dos jogos através dos sites criados pelos bandidos, usados a partir lan houses, previamente cadastradas, que ficavam com 20% dos lucros. No sistema aberto, os jogadores podiam acessar os sites de qualquer lugar público ou de casa, fazendo as apostas com cartão de crédito e pagavam os boletos em bancos.

 

Segundo a Secretaria de Segurança Pública, ainda havia disputas por pontos de exploração, corrupção de agentes públicos, cobranças com utilização de violência e grave ameaça e indícios da ligação com homicídios. As investigações apontam também para a suposta participação de empresários no esquema. Sobre isso, o governador de São Paulo, José Serra, foi taxativo: "Um sujeito que frauda o outro já não é mais empresário, ele já é outra coisa".

 

O governador afirmou que a Polícia Civil atuou com eficiência na ação. "Essa é uma investigação que está sendo feita há um ano, e hoje apareceu publicamente. Gente que promove jogo na internet fraudando os apostadores, portanto, estão roubando dinheiro alheio. Por isso que a polícia atuou, é uma operação de grande alcance, inclusive nacional, e a nossa polícia atuou com muita eficiência", disse o governador, em visita a Itapira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.