Polícia prende 2 por assaltos no Rodoanel

Ladrões jogam pedras na pista ou ameaçam motoristas; 6 casos foram registrados neste ano

CAMILLA HADDAD, O Estado de S.Paulo

10 Março 2012 | 03h04

A polícia prendeu, na madrugada de ontem, dois homens acusados de assaltar motoristas que trafegam pelo Rodoanel Mario Covas. Eles estavam armados e usavam máscaras de monstro - e fariam campana em trechos da via à espera das vítimas, que paravam após pedras serem jogadas na pista ou serem ameaçadas com armas. Desde janeiro, ao menos seis casos foram registrados.

A detenção foi no km 64, sentido Mauá, próximo da Avenida Senador Teotônio Vilela, na zona sul da capital. O tenente do 1.º Batalhão de Polícia Militar Rodoviária, Pablo Revitti, contou que por volta das 3h30, um motorista alertou uma viatura sobre a permanência de suspeitos mascarados em um matagal localizado na beira da estrada. Quando a PM se aproximou, um deles teria feito um disparo contra a equipe - mas acabou se rendendo. Johnny Pereira, de 21 anos, e Daniel Diógenes, de 19, foram detidos em flagrante.

O tenente afirmou que ambos estavam perto de um Gol, ano 2000. No carro havia dois revólveres calibre 38, com 25 munições, e uma escopeta calibre 12, com um cartucho carregado.

Segundo o oficial da PM, com a dupla também foram apreendidas 15 alianças douradas e cinco relógios de grife, que supostamente teriam sido roubados de veículos. "Eles estavam com máscaras usadas em Halloween", disse o policial. "E o objetivo era assaltar motoristas."

No boletim de ocorrência, registrado no 1.º DP de São Bernardo do Campo, no ABC paulista, consta que Daniel teria dito que roubou as joias e os relógios no Ceará. O carro em que estavam não era roubado. Outros dois comparsas conseguiram fugir a pé e não tinham sido presos até a noite de ontem.

O tenente negou que casos de assaltos contra motoristas sejam comuns no Rodoanel. Mesmo assim, o policial disse que faz rondas diárias na região para prevenir esse tipo de crime com quatro viaturas do pelotão tático. Desde o começo do ano, outros cinco casos foram comunicados em delegacias de São Paulo.

Armadilha. No último dia 3, por volta das 9h, um autônomo de 32 anos parou em uma área de descanso do Rodoanel, no km 41, perto de Embu das Artes, e foi abordado por um homem armado que levou sua carteira e celular. Não houve agressão física. Em outro caso, registrado no mês passado, dois funcionários de uma pousada no litoral sul paulista foram vítimas do "golpe da pedra" quando passavam pela pista no sentido norte.

Um dos pneus do carro das vítimas foi danificado com as pedras. Logo ao parar para observar o problema, as duas pessoas foram pegas por quatro ladrões, que, após roubar R$ 300, correram para o mato. Na mesma manhã, a PM prendeu um homem acusado do crime. Ele foi reconhecido pelas vítimas.

Nem o sequestro relâmpago está fora da lista dos crimes. No início do mês, um homem de 29 anos foi sequestrado no Rodoanel, sentido Mauá, perto da Avenida dos Sertanistas. No banco de trás, ele ficou 15 minutos rodando com os ladrões em seu carro até entregar pertences.

Em um site de reclamações contra o consumidor, um internauta revela que quase foi roubado em 2011, após dois de seus pneus serem estourados por vigas de concreto na pista do Trecho Sul. Segundo ele, outros carros tiveram de parar pelo mesmo motivo. Também no ano passado, duas famílias tiveram os pneus de seus carros danificados por armadilhas montadas por bandidos no Rodoanel. Após os carros pararem, os ladrões armados abordavam as vítimas.

Mais conteúdo sobre:
rodoanel assaltos SP ladrões

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.