Polícia prende 15 acusados de narcotráfico na Baixada Santista

Grupo era apontado como responsável pelo tráfico de drogas no Morro da Penha, em Santos; Dentre os presos, três eram menores de idade

Rejane Lima, O Estado de S. Paulo

17 de agosto de 2010 | 17h26

SANTOS - A Polícia Civil prendeu nesta terça-feira, 17, a quadrilha responsável pelo tráfico de drogas no Morro da Penha, em Santos, na Baixada Santista. Foram detidas 15 pessoas, sendo três menores de idade. O líder do grupo, Renival Santos Lima, conhecido como Catinga, de 35 anos, era investigado desde 2007. No local, foram apreendidos mais de 12 quilos de entorpecentes. Houve troca de tiros e um dos bandidos ficou ferido no braço.

 

A ação teve início às 23h da última segunda-feira (16) e contou com a participação de cinco policiais da Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes (DISE) do Deinter-6.

 

De acordo com o delegado titular da DISE, Francisco Garrido Fernandes, a polícia chegou até a quadrilha após realizar um "serviço de formiguinha" de mais de três anos de investigação, que se somou a denúncia anônima de que boa parte do grupo estaria em uma determinada casa manipulando a droga que seria colocada à venda. "Nesse morro é geograficamente difícil de efetuar diligências, eles (traficantes) têm olheiros com rádios transmissores que já avisam quando a polícia está chegando", disse Garrido.

 

O delegado explicou também que a ação foi dificultada por causa da presença de cachorros na casa, que ao latirem alertaram sobre a presença dos policias. "Eles (bandidos) efetuaram disparos e tentaram fugir pela janela, mas houve cerco e todos acabaram presos", conta Garrido, afirmando que um dos criminosos foi ferido no braço, mas foi socorrido, teve alta e já está com os demais no Centro de Detenção Provisória (CDP) de São Vicente.

 

Segundo Garrido, todos os 12 maiores de idade presos em flagrante já tinham passagem por tráfico de drogas, receptação e furto e que o líder Catinga possuía um mandado de prisão preventiva em seu nome desde 2008, expedido pela 5ª. Vara Criminal de Santos, a pedido da própria Dise, que o identificou como traficante em outro inquérito.

 

No local, foram encontradas duas armas, uma verdadeira (revólver calibre 38 carregado) e um simulado de pistola, e seis cartuchos de munição de calibre 9 milímetros. Entre os entorpecentes apreendidos havia 3.400 pedras de crack, maconha (seis tijolos e cinco tabletes de diversos tamanhos) e cocaína, sendo um saco plástico com a droga a granel e outros 163 flaconetes. Além disso, foram apreendidos materiais para embalagem da droga, balança digital, dois rádios transmissores e nove celulares.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.