Polícia prende 13 suspeitos de roubo a caminhão na Grande SP

Grupo também assaltava joalherias e pedestres; investigação com interceptação telefônica começou em maio do ano passado

Luciano Bottini Filho, O Estado de S. Paulo,

07 de janeiro de 2014 | 17h54

A Polícia Civil de Guarulhos prendeu nesta terça-feira, 7, quatro pessoas em flagrante e deteve outros nove supeitos de integrar um esquema de roubo a caminhões na Grande São Paulo, que mantinha os motoristas como reféns até os rastreadores serem desarmados.  Após uma investigação de 7 meses,  a Justiça expediu 27 mandados de prisão e 38 de busca e apreensão nas cidades de São Paulo, Guarulhos, Ferraz de Vasconcelos, Poá, São Bernardo do Campo e Santo André.

 

A investigação começou em maio do ano passado quando um adolescente envolvido foi apreendido com dois celulares, nos quais estavam os números dos assaltantes. Dois caminhoneiros pegos na Marginal do Tietê pelos bandidos foram deixados em Guarulhos e disseram à polícia que os ladrões conversavam por telefone o tempo todo durante as ações. 

 

 

Após pedido do 7º DP de Guarulhos, a Justiça decretou a interceptação telefônica dos suspeitos, que ligavam uns para outros de manhã para irem "ao trabalho". Foram detidos integrantes de três grupos criminosos da Grande São Paulo, que eram ligados entre si. 

 

 

Os assaltantes agiam também em pequenos roubos a pedestres e a estabelecimentos comerciais. Segundo a polícia, foram eles que roubaram o total de R$ 400  mil em dois roubos a uma joalheria no Shopping Anália Franco, na zona leste, em julho e setembro do ano passado. A polícia estima que o grupo esteja relacionado a  pelo menos 30 boletins de ocorrência registrados nos últimos meses.

 

Um dos líderes da quadrilha detido  é Claudio Amescoa, de São Bernardo do Campo, especialista em roubo a veículos. Também foi detido, segundo a polícia, o responsável pela receptação da mercadoria roubada, Vanderlei Ribeiro. Outros dois detidos que planejariam os crimes segundo as investigações são Emerson Santos da Silva  e Ademilson Paiva.

 

A polícia deteve também duas mulheres na operação. Uma delas, em um dos assaltos a joalheira, estava grávida de 8 meses e foi encarregada de recolher o dinheiro do cofre.

 

Entre o material apreendido na operação, estão celulares que seriam usados na comunicação durante os assaltos. Ao longo da tarde, os aparelhos não paravam de tocar. Além disso, foram encontrados computadores e placas de automóveis roubados.

 

Com cerca de 120 agentes de várias delegacias da região, a polícia conseguiu cumprir apenas 13 dos 27 mandados de prisão temporária na manhã desta segunda. Outros cinco suspeitos foram detidos ao longa da investigação. Assim, 9 suspeitos estão foragidos. Quatro dos suspeitos com prisão temporária decretada foram presos em flagrante: dois por porte ilegal de munição, um por porte ilegal de arma e um por tráfico de drogas.

 

A reportagem não conseguiu localizar nenhum advogado dos suspeitos.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.