Policia Militar
Policia Militar

Polícia pede exame de DNA para confirmar se ossada é de Giuliano Ricca

Investigação trabalha com a hipótese de que o carro se acidentou e caiu em um local difícil de ser visualizado

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

03 de novembro de 2020 | 13h46

SOROCABA – A Polícia Civil pediu exames de DNA e na arcada dentária para confirmar se a ossada encontrada no interior de um carro acidentado, segunda-feira, 2, na margem da Rodovia Presidente Dutra, em Santa Isabel, é do produtor cultural Giuliano Ricca, irmão do ator Marco Ricca. Giuliano estava desaparecido desde outubro de 2014. O carro, com marcas de acidente, foi achado em uma ribanceira, 20 metros abaixo da rodovia. Um celular, cartões bancários e outros objetos encontrados no veículo foram reconhecidos como sendo de Giuliano por familiares dele.

Com o encontro da ossada, o caso passou a ser tratado como de morte suspeita. A polícia trabalha com a hipótese de que o carro se acidentou e caiu em um local difícil de ser visualizado. No local do acidente, no km 192,8, sentido Rio de Janeiro, a rodovia tem uma curva. Há dois anos, foi construída uma mureta de proteção junto ao acostamento.

O veículo, que já foi identificado como sendo o carro usado por Giuliano, foi achado por três homens que trabalhavam na construção de uma cerca. A lataria tinha marcas compatíveis com capotamento. Conforme a investigação, o mato crescido no interior da carcaça indica que o veículo estava no local havia vários anos.

O carro foi retirado da ribanceira com o uso de guinchos e vai passar por perícia. Os exames podem indicar de que forma aconteceu e as possíveis causas do acidente. Os objetos achados em uma mochila e uma mala também serão analisados.

Giuliano desapareceu quando viajava de São Paulo para o Rio de Janeiro, em 18 de outubro de 2014. Na época, chegou a ser levantada a hipótese de sequestro. Após algum tempo em que a família manteve reserva sobre o desaparecimento, o ator Marco Ricca divulgou um comunicado pedindo ajuda para descobrir o paradeiro do irmão.

Em nota, a Secretaria da Segurança Pública (SSP) do Estado de São Paulo informou que o caso é investigado por meio de inquérito policial instaurado pela Divisão Antissequestro, do Departamento de Operações Policiais Estratégicas (Dope). Conforme a SSP, a ossada achada no veículo foi encaminhada para o Instituto Médico Legal (IML) da capital para a realização dos exames periciais. O encontro dos restos mortais foi registrado pela delegacia de Arujá e será anexado ao inquérito policial. “A unidade aguarda o resultado dos laudos e prossegue em diligências para esclarecer os fatos”, informou a pasta.

Tudo o que sabemos sobre:
Marco RiccaRodovia Presidente Dutra

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.