Polícia ouve seis suspeitos pela morte na USP

Nesta sexta, mais uma pessoa prestou depoimento e também foi liberada por falta de provas

Marcela Gonsalves, Estadão.com.br

20 Maio 2011 | 18h30

SÃO PAULO - A polícia ainda não prendeu nenhum suspeito por envolvimento na morte do aluno Felipe Ramos de Paiva, de 24 anos, assassinado na última quarta-feira, 18. Segundo o delegado Maurício Soares, titular da divisão de homicídios, pelo menos seis pessoas já foram apresentadas nas delegacias da cidade após a divulgação do retrato falado do suspeito. Todas já foram liberadas, por não haver provas para apontar o envolvimento de nenhuma delas.

 

Veja também:

 

som Reitor admite que guarda não garante segurança
video VÍDEO: Estudantes discutem falta de segurança
forum OPINE: A PM deve entrar no câmpus da USP?

 

Segundo o delegado, a maioria dos apresentados possui antecedentes criminais e características semelhantes às divulgadas pela polícia, mas por enquanto não houve reconhecimento formal ou incriminação. Há agentes do DHPP sendo escalados para comparecer às delegacias e ouvir os suspeitos em caso de denúncia.

 

Um dos suspeitos foi ouvido na tarde desta sexta-feira, 20, no Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), mas ele foi liberado logo depois.

 

Ainda segundo o delegado, há várias investigações policiais em curso na região do crime, na zona oeste de São Paulo.

 

Leia também:

 

linkDupla circulou 1 hora pela USP e abordou outro aluno
linkEstudante passou de estagiário a sócio de empresa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.