Renata Rodrigues (@rerodrigues84)/Twitter
Renata Rodrigues (@rerodrigues84)/Twitter

Polícia orienta romeiros em caminhada para Aparecida pela Dutra

13 mil devem passar pela rodovia durante as festividades dos 300 anos da Padroeira do Brasil; um peregrino morreu atropelado

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

09 Outubro 2017 | 19h12

SOROCABA - A Polícia Rodoviária Federal (PRF) e a concessionária NovaDutra reforçaram a presença de agentes na Rodovia Presidente Dutra, principal rota dos romeiros que seguem em caminhada para Aparecida, no Vale do Paraíba, para as festividades em comemoração aos 300 anos da Padroeira do Brasil. Nesta segunda-feira, 9, grandes grupos de peregrinos seguiam pela Dutra em direção ao Santuário Nacional caminhando na pista sentido Rio de Janeiro, inclusive à noite e de costas para o tráfego, o que representa um risco maior de acidentes. 

+++ Descoberta de imagem de Nossa Senhora Aparecida completa 300 anos

+++ Policial ferido na perna puxa romaria até Aparecida

A orientação da concessionária NovaDutra é que a peregrinação seja feita pela pista sentido São Paulo, contrário ao tráfego, em fila indiana pelo acostamento, e durante o dia. Desde o início de setembro, mais de 4 mil romeiros passaram a pé pela Dutra. Sete caminhantes precisaram de atendimento clínico e um peregrino morreu atropelado no km 69, em Aparecida.

A expectativa é de que, até o dia 13, cerca de 12,5 mil caminhantes passem pela rodovia, 43% a mais do que no mesmo período do ano passado. A contagem é realizada na praça de pedágio Moreira César, localizada no km 88, em Pindamonhangaba. Durante esse período, equipes da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) reforçam a fiscalização de ônibus fretados.

+++ Após atentado, imagem de Nossa Senhora foi restaurada no Masp

De acordo com a administração do Santuário Nacional, são esperados 600 mil visitantes durante as festividades. A previsão é de que passem 500 mil veículos pela Dutra.

"Nos acessos de Aparecida, entre o km 117, em Taubaté, e o km 71, viaturas estarão posicionadas para garantir a fluidez do tráfego com segurança para os motoristas", disse Virgílio Leocádio, gestor de atendimento da NovaDutra.

+++ Na Sala de Promessas de Aparecida, fiéis deixam de foto a prótese

Ao longo da rodovia, mensagens irão alertar os motoristas para a presença de peregrinos a pé. "Nossa preocupação é com os pedestres que caminham pelo acostamento muito próximos da pista, e nas travessias de acessos e trevos, onde o risco de atropelamento é maior", disse. Ele lembra que, em caso de chuva, o perigo aumenta e que a caminhada deve ser interrompida.

O lixo deixado pelos romeiros no acostamento também aumenta os risco. Papéis, plásticos e garrafas podem ser levadas pelo vento para a estrada e causar acidentes. No ano passado, entre 10 e 17 de outubro, foram coletadas 8,5 toneladas de lixo entre São José dos Campos e Lorena. Neste ano, foram instaladas 69 lixeiras entre as duas cidades.

+++ Rio onde imagem foi encontrada ainda sofre com poluição

Alternativa

Os romeiros estão sendo orientados a usar um circuito alternativo - a Rota da Luz - para chegar a Aparecida por rodovias secundárias, com menor movimento e mais segurança para pedestres. São 210 quilômetros de estradas, a partir de Mogi das Cruzes, passando por Guararema, Santa Branca, Paraibuna, Redenção da Serra, Taubaté, Pindamonhangaba e Roseira. A rota é sinalizada e oferece pontos para descanso. 

Tráfego

De 955 mil a 1.025 milhão de veículos devem circular pelo Corredor Ayrton Senna/Carvalho Pinto, durante o feriado de Nossa Senhora Aparecida, entre os dias 11 e 15. A concessionária Ecopistas prevê o tráfego mais intenso entre 16 horas e 19 horas da quarta-feira, 11, e das 9 horas às 14 horas na quinta-feira, 12.

Nos pedágios, será feita a cobrança da tarifa antes das cabines para reduzir as filas. Motoristas serão alertados sobre a possível presença de peregrinos em caminhada pelo acostamento. A concessionária pede o uso de roupas claras com refletores para evitar acidentes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.