Polícia negocia libertação de refém em Praia Grande

Segundo a polícia, desde o término do namoro com a moça esta é a segunda vez que ele a faz refém

Rejane Lima, Estadão

19 de novembro de 2007 | 11h48

Desde a meia-noite desta segunda-feira, 19, um homem armado mantém a ex-noiva como refém em uma drogaria na Praia Grande, na Baixada Santista. Segundo as primeiras informações, Jilmar Leandro da Silva, de 23 anos, invadiu a drogaria no momento em que o estabelecimento era fechado e, por ciúmes, teria feito Evelin Ferreira Amorim refém.   A única exigência do rapaz seria a presença de um amiga, que já está no local, ajudando a polícia durante a negociação. Policiais militares do 45º Batalhão de Policiamento do Interior (BPM/I) negociam com ele a liberação da moça, que trabalha no estabelecimento.   Outro funcionário da drogaria também foi impedido de sair em um primeiro momento, mas Silva o liberou durante a madrugada. Um disparo foi ouvido por moradores da região, logo no início do seqüestro.   Segundo a polícia, o rapaz está com um revolver. Ele e Evelin teriam namorado por cinco anos. Em junho desse ano, ele já havia seqüestrado a menina pois estava revoltado com o término do noivado. Ele a manteve refém por cinco horas na casa dela. Na época, ele foi preso por porte ilegal de arma e ficou detido durante um mês.

Tudo o que sabemos sobre:
refémPraia Grandecrime passional

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.